Algorithm approach for revision surgery following late-onset bleb complications after trabeculectomy: long-term follow-up

Claudio I. Perez, María J. Oportus, Felipe Mellado, Felipe Valenzuela, Cristián Cartes, Daniela López-Ponce, Daniela Salinas-Toro, Remigio López-Solís, Leonidas Traipe
2017 Arquivos Brasileiros de Oftalmologia  
Purpose: The aim of this study was to introduce a reproducible algorithm for the surgical management of late-onset (>2 months) bleb complications after trabeculectomy with mitomycin C. Methods: We performed a retrospective review of eyes treated using a reproducible algorithm approach by a single surgeon for the surgical management of late-onset bleb complications from July 2006 to April 2014. Exclusion criteria were bleb revision with less than 3 months of follow-up or bleb revision combined
more » ... revision combined with other glaucoma procedures at the time of surgery. Success was evaluated using the Kaplan-Meier survival method and defined as achieving all of the following criteria: primary surgery indication resolved, no additional surgery required for decreasing the intraocular pressure (IOP), and IOP of ≥6 mmHg and ≤18 mmHg. Results: Twenty-three eyes from 20 patients were evaluated. Indications for bleb revision were hypotonic maculopathy (47.8%), bleb leak (30.4%), and dysesthetic bleb (21.7%). The overall primary outcome success rate calculated using the Kaplan-Meier survival method was 65.2% at 48 months. When the IOP target was changed to ≤15 mmHg, the bleb survival rate was 47.8% at 48 months. At the most recent postoperative visit, 95.7% of eyes had an IOP of ≤15 mmHg and 56.5% were being treated with an average of one medication per eye. One eye (4.3%) required a second bleb revision for persistent hypotony and two eyes required glaucoma surgery to reduce IOP during follow-up. Conclusions: An algorithm approach for the surgical management of late-onset bleb complications with a success rate similar to those reported in specialized literature is proposed. Randomized trials are needed to confirm the best surgical approach. RESUMO Objetivo: Descrever um algoritmo reprodutível para o tratamento cirúrgico das complicações da bolha de início tardio (>2 meses) após trabeculectomia com mitomicina-C. Métodos: Revisão retrospectiva de olhos que foram submetidos a um algoritmo reprodutível para o tratamento cirúrgico das complicações da bolha de início tardio por um único cirurgião, de julho de 2006 a abril de 2014. Os critérios de exclusão foram revisão de bolha com menos de 3 meses de seguimento ou revisão de bolha combinado com outro procedimento antiglaucomatoso no momento da cirurgia. O sucesso foi avaliado pelo método de sobrevida de Kaplan-Meier e definidos como ter atingido todos os seguintes critérios: indicação de cirurgia primária resolvido, nenhuma cirurgia adicional necessária para diminuir a pressão intraocular (IOP), IOP ≥6 mmHg e ≤18 mmHg. Resultados: Vinte e três olhos de 20 pacientes foram incluídos. Indicações para revisão bolha foram maculopatia hipotônica (47,8%), extravasamento da bolha (30,4%) e bolha elevada (21,7%). A taxa de sucesso do resultado primário global calculada pelo método de sobrevivência de Kaplan-Meier foi de 65,2% aos 48 meses. Quando a IOP foi diminuída para ≤15mmHg, a taxa de sobrevivência bolha foi de 47,8% em 48 meses. Na visita pós-operatória mais recente, 95,7% dos olhos apresentavam PIO ≤15mmHg e 56,5% estavam sob tratamento com uma média de um medicamento por olho. Um olho (4,3%) necessitou de uma segunda revisão da bolha para hipotonia persistente e dois olhos necessitaram cirurgia de antiglaucomatosa para reduzir a IOP durante o seguimento. Conclusões: Um algoritmo de abordagem para o tratamento cirúrgico das complicações tardias da bolha com uma taxa de sucesso semelhante aos relatados na literatura especializada é proposto. Ensaios clínicos randomizados são necessários para confirmar a melhor abordagem cirúrgica.
doi:10.5935/0004-2749.20170008 pmid:28380098 fatcat:vf6ta4uw4bbgbc3mlkujheb2a4