Sequelas a longo prazo de fracturas do corpo e colo do astrágalo

Ricardo Jorge Gomes de Sousa, Marta Maria Teixeira de Oliveira Massada, Manuel Alexandre Negrais Pinho Gonç Pereira, Isabel Maria Gonçalves Costa, José Fernando Souzellas da Costa e Castro
2009 Revista Brasileira de Ortopedia  
rEsUMO Objetivo: As fracturas do colo e corpo do astrágalo são lesões infrequentes. O objectivo deste estudo é avaliar a prevalência de sequelas a longo prazo. Métodos: Foi feita uma análise retrospectiva que incluiu um total de 11 doentes sujeitos a tratamento cirúrgico por fracturas do corpo ou colo do astrágalo entre Janeiro de 1997 e Dezembro de 2005. A avaliação final foi clínica (utilizando a escala AOFAS) e radiológica. Resultados: O seguimento médio foi 58,5 meses. A prevalência de
more » ... s ósseas associadas foi de 60% (6/10). O resultado AOFAS médio foi 72 [19-100] pontos. A necrose avascular e/ou artrose pós-traumática ocorreu em metade dos doentes. A qualidade da redução cirúrgica, as fracturas do corpo e a ausência de alterações degenerativas relacionaram-se com melhores resultados funcionais. As fracturas do colo, a osteonecrose e a presença de artrose póstraumática conduziram a piores resultados. Conclusão: Há um grande potencial para sequelas tardias e compromisso funcional devido a artrose e dor crónica após esse tipo de fracturas. A redução anatómica cirúrgica é a melhor hipótese de as evitar, mas não é infalível. A taxa de necrose avascular relaciona-se com o grau de desvio inicial da fractura, mas a sua ocorrência em cada caso específico é imprevisível. AbstrACt Objectives: Talar neck and body fractures are unusual fractures. The purpose of this study is to determine the prevalence of long term results. Material and Methods: A retrospective analysis was carried out including 11 patients that underwent surgical treatment for body or neck talus fractures between January 1997 and December 2005. Final follow-up examination included a clinical evaluation (AOFAS score) and standard radiographs. Results: The mean follow-up time was 58.5 months. The prevalence of associated fractures was 60% (6/10). Overall AOFAS score averaged 72 . Avascular necrosis and posttraumatic arthritis were present in half of the patients. Quality of surgical reduction, body fractures and absence of degenerative changes were correlated with better functional results. Neck fractures, osteonecrosis and posttraumatic arthritis led to inferior results. Conclusion: There is a great potential for long term functional impairment due to posttraumatic arthritis and chronic pain in this kind of fracture. Anatomic surgical reduction is the best chance to avoid them but it is not infallible. The avascular necrosis rate correlates with initial fracture displacement, but its occurrence in each specific case is unpredictable.
doi:10.1590/s0102-36162009000500011 fatcat:sxh4jqpbs5dn3dqy7tcx7gvog4