Doses-carga de carbamazepina e difenil-hidantoína: utilização em pacientes de alto risco

Paulo J. M. Leite, Lolita M. Tsanaclis, Tânia Markourakis, Paulo Rogério M. Mittencourt
1987 Arquivos de Neuro-Psiquiatria  
Doses-carga de difenil-hidantoína (lOOOmg) e carbamazepina (600mg) foram administradas oralmente a respectivamente 10 e 6 pacientes com crises epilépticas secundárias a doença aguda neurológica ou síndrome de abstinência alcoólica. No grupo da difenil-hidantoína a idade variou de 12 a 73 anos e as concentrações séricas 2, 4, 6, 8, 12 e 18 horas após a administração foram 7,6, 8,8, 8,7, 8,7, 7,2 e 6,5 mg/ml (média). Não foram anotados efeitos colaterais importantes por um método quantitativo. No
more » ... do quantitativo. No grupo da carbamazepina a idade variou de 25 a 56 anos e as concentrações séricas nas mesmas horas foram 3,9, 5,3, 6,5, 7,5, 7,4 e 8,2 mg/ml. Efeitos colaterais foram discretos. Não foi necessária medicação suplementar durante as 24 horas após a administração das doses-carga. Embora ambos os esquemas tenham controlado a situação clínica sem efeitos colaterais relevantes, as concentrações séricas foram sub-terapêuticas no caso da difenil-hidantoína. Sugerimos que a dosecarga ideal de difenil-hidantoína é 1500mg. A dose-carga de carbamazepina foi eficaz e produziu níveis séricos terapêuticos. A estabilidade dos níveis séricos durante o período de estudo torna este esquema útil no controle subagudo de crises epilépticas frequentes, no tratamento de manutenção de estado de mal epiléptico e na síndrome de retirada alcoólica.
doi:10.1590/s0004-282x1987000300008 pmid:3439906 fatcat:ohvf4da275gd7bd34v352lccki