Comportamento da força muscular respiratória em diferentes graus de obesidade

Cassio Daniel Araujo da Silva, Fernanda Figueiroa Sanchez, Camila Miriam Suemi Sato Barros do Amaral, Ellen Kathellen Sá de Souza, Robera Lins Gonçalves
2019 Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento  
Objetivos: Avaliar a força muscular respiratória em indivíduos adultos obesos e comparar esses valores entre diferentes graus de obesidade. Métodos: Foi realizado estudo transversal que consistiu na avaliação das Pressões Inspiratória e Expiratória Máximas (PImáx e PEmáx) e das medidas de peso e altura para o cálculo do Índice de massa corporal (IMC) e classificação da obesidade segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Para análise estatística, utilizou-se o software SigmaStat 3.5 e o
more » ... maStat 3.5 e o teste Anova One Way para comparação entre os grupos. Resultados: Dos 142 indivíduos avaliados (85 mulheres e 57 homens), 53 foram classificados como obesos de grau I, 25 com obesidade grau II e 64 com grau III. A idade média dos indivíduos foi de 45,3 ± 11,8 anos. Os valores de PImáx (-207,7 ± 79,2 cm/H2O no sexo masculino e -164,1 ± 83,5 cm/H2O no sexo feminino) e de PEmáx (156,3 ± 50,9 cm/H2O entre os homens e 118,5 ± 32,3 cm/H2O nas mulheres) foram significativamente maiores nos indivíduos com obesidade grau III em comparação com os indivíduos com obesidade grau II e grau I (P <0,001), sugerindo aumento das pressões respiratórias de acordo com IMC. Conclusão: Os resultados indicam aumento da força muscular respiratória em indivíduos com maior grau obesidade.
doaj:b176ddf266c84b7f9228437ed0d15e6b fatcat:xk7u5zjxerdtbechpk6vtzx2ui