Política, Religião e Utopia: O Discurso e a Crença Religiosa Submersos na Imaginação e Pensamento Utópico

A.M. Coelho
2013 Páginas de Filosofia  
Inventar e imaginar mundos sociais possíveis é uma ocupação da Filosofia Política. Na história do pensamento político somam-se múltiplas e diferenciadas postulações a respeito de planos ideais e de uma consequente natureza humana que possibilita ou afasta a existência desses mundos outros. Postulações estas que, tal como as pretensões cognitivas e as proposições de ordem ontológica, são inverificáveis, já que é no interior mesmo dos mundos inventados que vão se fundar os mecanismos de
more » ... nismos de verificação. Daí a ideia básica de que enunciados filosóficos são indemonstráveis. Porém, uma hipótese indemonstrada não retira a força nem elimina a consecução de uma tarefa da Filosofia Política, em particular, o pensar a utopia. Refletir sobre uma necessária valorização das utopias como sonho e projeto de uma situação e condição melhor, mais justa e equitativa é objetivo dessa fala. Distante de puros idealismos e falsificações grosseiras, logo da partida esse caráter imprescindível da utopia impõe um desafio: a luta por condições de vida mais plena se materializa no próprio exercício diário do fazer social. Sendo assim deve-se afastar uma compreensão das utopias como projetos irrealizáveis simplesmente por não terem sido colocados em prática. As manifestações e a linguagem utópica apontam para * Esse texto foi produzido por ocasião da conferência e debate realizado em 22/05/2013 constitutivo da XVI Semana de Filosofia da Metodista: "Filosofia política na contemporaneidade -entre primaveras, amores e pessoas", promovido pelo Curso
doi:10.15603/2175-7747/pf.v5n2p21-36 fatcat:op32gtgy5vd2phz4r2c2mgpqze