Universal newborn hearing screening: knowledge of pediatricians and neonatologists in the city of Jundiaí, São Paulo, Brazil

Ana Carolina Moreno de Campos, Henrique Yassuhiro Shirane, Paulo Vitor Atsushi Takemoto, Edmir Américo Lourenço
2014 Brazilian Journal of Otorhinolaryngology  
Hearing loss has severe emotional, psychological, and social consequences. The early identification of hearing impairment is crucial. Objective: To evaluate and quantify the knowledge of neonatologists, pediatricians, and residents in pediatrics regarding detection, risk factors, early diagnosis, and referral for rehabilitation of patients with neonatal hearing loss in Jundiaí, state of São Paulo, Brazil. Methods: This was a cross-sectional contemporary cohort study including 47 physicians from
more » ... 47 physicians from three hospitals and a questionnaire with 15 items. Results: Most of the respondents (83%) had received information about hearing loss in their medical courses, but had no knowledge of techniques for hearing evaluation, and degrees and types of loss. All physicians agreed that in the first six months of life, it is possible to evaluate hearing function and that it is the physician's responsibility to assess the newborn. Regarding the age that the child can receive auditory rehabilitation, the end of the first year and the second year of life predominates. Conclusion: Most respondents know the risk factors for the detection of neonatal hearing impairment, know how to perform procedures, and recognize the importance of diagnosis of hearing loss and the need to refer suspected cases, but most do not know the techniques used to assess hearing in newborns. Audição; Questionários; Emissões otoacústicas espontâneas; Triagem neonatal Triagem auditiva neonatal universal: conhecimento dos pediatras e neonatologistas em Jundiaí, São Paulo, Brasil Resumo Introdução: A deficiência auditiva acarreta graves consequências emocionais, psicológicas e sociais, sendo imprescindível a identificação precoce de alterações auditivas. Objetivo: Avaliar e quantificar o conhecimento de médicos neonatologistas, pediatras e residentes em Pediatria, sobre detecção, fatores de risco, diagnóstico precoce e encaminhamento para reabilitação dos pacientes acometidos por deficiência auditiva neonatal no município de Jundiaí, SP. Método: Estudo de coorte contemporânea com corte transversal, incluindo 47 médicos de três instituições hospitalares, com aplicação de um questionário de 15 perguntas. Resultados: Grande parte dos entrevistados (83%) teve informações sobre deficiência auditiva em seus cursos médicos, em sua maioria desconheciam técnicas de avaliação auditiva na infância, graus e tipos de perda. Todos relataram que nos primeiros seis meses de vida já é possível avaliar a audição, sendo dever do médico se preocupar com sua comunicação. Com relação à idade em que a criança pode receber a reabilitação auditiva, predominaram o final do primeiro e o segundo ano de vida. Conclusão: A maioria dos entrevistados conhece os fatores de risco para a detecção neonatal da deficiência auditiva, realiza procedimentos, reconhece a importância do diagnóstico da deficiência auditiva e a necessidade de efetuar encaminhamento dos casos suspeitos, porém desconhece técnicas de avaliação da audição em neonatos.
doi:10.1016/j.bjorl.2014.07.006 pmid:25303811 fatcat:fwrs3qdrqbgglie7s4atqjowfu