"D'où venons nous? Que sommes nous? Où allons nous?" Breve reflexão sobre o sentido da vida

Maria Laura Bettencourt Pire
2019
Inspirada por Paul Gauguin, atribui a este artigo, em que faço uma "Breve Reflexão sobre o Sentido da Vida", o mesmo título que o artista deu a uma das suas famosas pinturas. Trata-se de uma das mais fascinantes e difíceis questões sobre as quais os homens, desde sempre, se têm debruçado sobretudo na nossa cultura cada vez mais secularizada. A fim de se fazer uma investigação sobre o tema, têm de se ler várias obras, tais como, entre outras, as de Sto. Agostinho, Descartes, Freud, Camus,
more » ... reud, Camus, Spinoza, Pascal, Darwin, Wittgenstein, Marx, Schopenhauer, Shakespeare e Beckett. Hoje em dia, num mundo que necessita urgentemente de redenção, entre elas, destaco a Carta de S. Tiago e a Encíclica Caritas in Veritate do Papa Bento XVI. A fim de reflectir mais profundamente, cito também Sartre, Albert Einstein e o Papa Francisco assim como Martha Nussbaum, que, através da sua vasta obra, nos diz que apenas uma existência bem vivida e virtuosa permite a felicidade e aborda o tema da importância e da necessidade de reforma da pedagogia na nossa sociedade deshumanizada, onde há declínio da imaginação, do julgamento independente e da capacidade de resistir à manipulação. Relativamente ao perigo de se reduzir a motivação dos homens apenas a questões económicas, sendo, actualmente, as pessoas avaliadas pelo seu poder de compra e ao facto de o pragmatismo reflectir "uma sociedade que não tem tempo para recordar e meditar" e na qual a procura da verdade e de um objectivo com sentido perderam o seu lugar e deixaram de ser apelativos, alguns culpam a idealização da tecnologia e o mito do progresso científico, havendo, por isso, uma racionalização da vida social, económica e administrativa que enfatiza a importância crucial da reflexão e de actuação ética. Ao referir-me à sabedoria dos grandes intelectuais do passado, estou implicitamente a fazer uma escolha e, portanto, de certo modo, a dar uma perspectiva pessoal, embora sabendo que nunca haverá uma palavra conclusiva sobre a questão em parte porque cada um de nós tem de fazer as pergunt [...]
doi:10.34632/gaudiumsciendi.2017.2969 fatcat:25ycqu4fengonoumtwk3w3oejm