Quod non est in actis, non est in mundo: mecanismos de disciplina interna e externa no Auditório Eclesiástico de Coimbra

Jaime Ricardo Gouveia
2009 Revista de História da Sociedade e da Cultura  
Texto entregue em/Text submited on: 19/02/2009 Resumo/Abstract: Pretende-se com este estudo analisar um dos dispositivos de vigilância e disciplinamento social existentes no mundo moderno, praticamente inexplorado até à data: os tribunais eclesiásticos, vulgarmente designados por Auditórios. Focado concretamente no de Coimbra, este artigo procura, em primeiro lugar, avaliar a produção historiográica neste domínio. De seguida, apurar algumas dinâmicas internas deste tribunal, com o ito de
more » ... com o ito de explicitar o seu modo de funcionamento. Finalmente, abordar detalhadamente um dos mecanismos destinados a expurgar o Juízo Eclesiástico de actos de corrupção e ilegalidade, as devassas, nomeadamente aquela que foi ordenada, em 1741, por D. Miguel da Anunciação. This paper envisages the analysis of a tool of social monitoring and discipline of the modern world, virtually disregarded until now: the ecclesiastical courts, commonly called Auditorio. Essentially focusing on the ecclesiastical court of Coimbra, this paper seeks primarily to assess historiographic developments in this area. This is followed by an assessment of the internal dynamics of this court, in view of understanding its modus operandi. Finally, it scrutinises one of the mechanisms used to purge the ecclesiastical justice of all corruptive and illegal behaviour, the devassas (investigation), namely the one commisssioned in 1741 by D. Miguel da Anunciação. Palavras chave/Key words:
doi:10.14195/1645-2259_9_7 fatcat:kju2527khbap7dz3ckzl23fdpu