Características reprodutivas de peixes invasores no rio Paranapanema, bacia do alto rio Paraná, sul do Brasil

Diego Azevedo Zoccal Garcia, Ana Paula Vidotto-Magnoni, Mário Luís Orsi
2019 Neotropical Biology and Conservation  
Estudos sobre biologia reprodutiva podem fornecer explicações sobre o sucesso na colonização de novas áreas, dado que características biológicas associadas às espécies invasoras podem conferir vantagem na invasão. Objetivamos avaliar variações de características reprodutivas de peixes invasores em lagoas e rios livres de barragens. Foram estudadas populações de Serrasalmus marginatus, Loricariichthys platymetopon, Ossancora eigenmanni, Auchenipterus osteomystax e Trachelyopterus galeatus em
more » ... rus galeatus em habitat lêntico (Lagoas 1 e 2) e lótico (rios Pirapozinho e Anhumas) durante as estações seca e chuvosa. Fêmeas predominaram na maioria das populações (χ2, α < 0,05). Fêmeas de L. platymetopon e T. galeatus apresentaram maior índice gonadossomático durante a estação chuvosa no rio Anhumas e na Lagoa 2, respectivamente (teste de Mann-Whitney, α < 0,05). Populações de S. marginatus, L. platymetopon, O. eigenmanni e T. galeatus apresentaram atividade reprodutiva muito intensa na Lagoa 1. Trachelyopterus galeatus apresentou atividade reprodutiva muito intensa nas duas lagoas e no rio Pirapozinho. Enquanto algumas espécies exibem alto investimento reprodutivo, independentemente do tipo de habitat (T. galeatus), outras podem apresentar variações (S. marginatus e L. platymetopon). Fêmeas em maiores razões sexuais, alto investimento reprodutivo, cuidado parental, fertilização interna e desova parcelada podem ser características que favorecem o estabelecimento na área receptora. Serrasalmus marginatus e L. platymetopon apresentam estratégia de história de vida intermediária Equíbrio/Sazonal e Equilíbrio, respectivamente, enquanto A. osteomystax e T. galeatus apresentam estratégia Sazonal. Por apresentarem indivíduos que se dispersam, sobrevivem e se reproduzem em diferentes tipos de habitat, essas espécies possuem extensa área de ocorrência e invadiram com sucesso a bacia do alto rio Paraná. Portanto, são necessárias ações que controlem as populações e minimizem seus impactos.
doi:10.3897/neotropical.14.e49079 fatcat:5hwz7ohpdre33kr5ns77sshyz4