Discrepância entre disposição a pagar e a receber pelas plantas úteis em comunidades tradicionais

Davison Márcio Silva de Assis, Ana Cláudia Caldeira Tavares Martins, Norma Ely Santos Beltrão, Priscila Sanjuan de Medeiros Sarmento
2020 Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais  
Com o surgimento de ameaças ambientais, as áreas litorâneas na Amazônia podem ter seu fluxo de serviços ecossistêmicos comprometidos, sobretudo o de provisão, em locais onde as populações tradicionais estão estabelecidas há décadas. Neste sentido, a Reserva Extrativista Marinha de Soure, localizada em área costeira no arquipélago do Marajó, vem sofrendo com práticas que ameaçam os recursos ecossistêmicos, que futuramente podem desaparecer se tais práticas não forem combatidas. As comunidades
more » ... . As comunidades pertencentes à Reserva Extrativista de Soure (Vila de Pesqueiro, Povoado do Caju-Úna e Comunidade do Céu) caracterizam-se pelo seu modo de vida tradicional, as quais desenvolveram práticas que denotam forte relação de dependência com os recursos da natureza, como por exemplo a pesca, a extração de frutos e sementes e o uso da medicina tradicional. Dentro desse contexto, este trabalho teve como objetivo valorar economicamente as plantas úteis nestas comunidades, para tal foi adotado o Método de Valoração de Contingente, usando-se as técnicas de Disposição a Pagar e Disposição a Receber. O valor estimado pela Disposição a Receber foi de R$ 3.628.208,88/ano e o da Disposição a Pagar foi R$ 519.613,20/ano, os quais podem ser usados como subsídio para a criação de projetos que garantam e reforcem a conservação das plantas úteis.
doi:10.6008/cbpc2179-6858.2020.006.0058 fatcat:ys4hddgscjac7pkr7zfqouufeu