CHARACTERIZATION AND PARTICIPATIVE MAPPING OF NON-TIMBER FOREST PRODUCT EXTRACTION: THE CASE OF LEATHERLEAF FERN Rumohra adiantiformis (G. FORST.) CHING

Mel Simionato Marques, Natalia Hanazaki
2016 Ethnoscientia  
Non--timber forest products (NTFP) comprehend plant products other than wood and firewood originating from natural or managed vegetation types. Rumohra adiantiformis (G. Forst.) Ching is one of these NTFP, a fern commercialized all around the world. The extractive activity of the species was characterized in the region of the Acaraí State Park, at São Francisco do Sul, Santa Catarina, Brazil. The extraction of the fern for commercial purposes generates income and helps in securing the
more » ... uring the livelihoods of families in the Acaraí region. The fern is harvested year round by a small number of extractivists in areas within and surrounding the Acaraí State Park. The harvesting activity in the region is dynamic, shaped by factors such as the low amount paid to the harvesters, as well as the relationships between them, and other complementary activities that generate income. The local knowledge about the species and its harvesting was registered. Participatory mapping supplemented the information gathered in the interviews, creating a spatial perspective of this NTFP harvesting. There is a potential to promote actions for sustainability of the fern harvesting, including the conservation goal. Produtos Florestais Não--Madeireiros (PFNM) compreendem produtos vegetais que não a madeira e a lenha, oriundos de formações vegetais naturais ou manejadas. Rumohra adiantiformis (G. Forst.) Ching é um desses PFNM comercializado no mundo inteiro. A atividade extrativista desta espécie foi caracterizada na região do Parque Estadual Acaraí, em São Francisco do Sul, Santa Catarina, Brasil. A extração da samambaia com finalidade comercial gera renda e auxilia a segurança dos modos de vida de famílias na região do Acaraí. A samambaia é coletada ao longo do ano por um pequeno número de extrativistas em áreas do Parque Estadual Acaraí e seu entorno. A atividade extrativista é dinâmica, influenciada por fatores como o baixo valor pago aos coletores, assim como as relações entre eles e outras atividades complementares que geram renda. O conhecimento local sobre a espécie e o extrativismo foi registrado. O mapeamento participativo complementou as informações levantadas nas entrevistas, criando uma perspectiva espacial do extrativismo desse PFNM. Há um potencial de promover ações para a sustentabilidade da extração de samambaia, incluindo o objetivo de conservação. PALAVRAS--CHAVE: PFNM, extração de samambaia, áreas protegidas, restinga
doi:10.22276/ethnoscientia.v1i1.21 fatcat:3rgsqlxeefcurkedzl2yxnejwa