Índice Percentual de Identificação de Fonemas Fricativos: proposta para avaliação da compressão de frequências

Letícia Pimenta Costa-Guarisco, Francisco José Fraga, Maria Cecília Martinelli Iório
2016 Audiology: Communication Research  
RESUMO Objetivo Desenvolver um teste para avaliar a compressão de frequências por meio da identificação de fonemas fricativos e aplicá-lo. Métodos Organizou-se um material de fala composto por 24 palavras monossilábicas, contendo os fonemas /s, z, f, v, ∫, 3/. As palavras foram gravadas por oito sujeitos, totalizando uma amostra de 192 gravações. Aplicaram-se filtros passa-baixas nas palavras com frequências de cortes em 1,5 kHz; 2 kHz e 3 kHz, a fim de impedir a detecção sonora nas faixas de
more » ... ora nas faixas de frequências filtradas, simulando perdas auditivas em frequências altas. Aplicou-se o teste em dez indivíduos normo-ouvintes, que deveriam ouvir a palavra e identificá-la na tela de um computador. Foram oferecidas 12 opções de resposta, fixando a vogal e variando o fonema fricativo inicial e a presença da fricativa final /s/. O teste foi composto por 384 repetições de palavras, sendo 192 com compressão de frequências. As respostas foram computadas e comparadas por meio de testes estatísticos. Resultados A identificação dos fonemas foi favorecida pelo aumento da frequência de corte, exceto em 3 kHz. Houve melhora na identificação dos fonemas fricativos /∫, 3/ com o uso da compressão de frequências, porém, para os demais fonemas avaliados (/f, v/ e /s, z/) não houve diferenças. Conclusão O teste de identificação de fonemas fricativos se mostrou eficiente e confiável. Para as frequências de corte em 1,5 kHz e 2 kHz, a compressão de frequências foi eficaz para a identificação dos fonemas fricativos /∫, 3/, porém, a identificação do /s/ final mostrou-se comprometida pelo algoritmo.
doi:10.1590/2317-6431-2016-1728 fatcat:zhcgputbrbbxphquybiyovwzhm