Habilidades sociais e saúde mental: caracterização de universitários da FOB-USP [thesis]

Núria Priscila Valentini Borro
A Deus, pela força de seguir em frente, sabedoria nas escolhas dos melhores caminhos, coragem para acreditar, força para não desistir e proteção para me amparar. "A Deus, que nos criou e que foi muito criativo nesta tarefa. Seu fôlego de vida em mim me foi sustento е me deu coragem para questionar realidades е propor sempre um novo mundo de possibilidades." Autor Desconhecido Aos meus amados pais, Miguel Borro e Vera Borro, os alicerces eternos da minha vida e que sempre estiveram ao meu lado
more » ... veram ao meu lado nos momentos bons e nos mais difíceis, sendo sempre minha maior motivação para seguir em frente. "Cuida de mim... Me olha como se eu fosse uma criança, Me empresta seu ombro, me embala em seu colo. Trata minhas feridas, beija a minha dor Enxuga minhas lágrimas e me diz que não estou só. Pega minhas mãos entre as suas, Aquece-me com seu calor [...]" Art By Angel /Vera Borro Ao meu amor, Marcos Gimenes, com quem amo compartilhar minha vida, pois dá sentido e alegria a cada um dos meus dias, me inspirando a querer ser alguém melhor. Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal. "Deus mudou o teu caminho até juntares com o meu e guardou a tua vida separando-a para mim. Para onde fores, irei; onde tu repousares, repousarei. Teu Deus será o meu Deus. Teu caminho o meu será." Rute 1:16-17 AGRADECIMENTOS Ao meu irmão Alex Borro e toda minha família que, com muito carinho е apoio, não mediram esforços para que eu chegasse até esta etapa de minha vida. A minha querida orientadora Profa. Dra. Dagma Venturini Marques Abramides, companheira de caminhada ao longo do Mestrado. Posso dizer que а minha formação, inclusive pessoal, não teria sido а mesma sem а sua pessoa. "Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." Fernando Pessoa Aos professores, funcionários do departamento de Fonoaudiologia (em especial a Claudinha e Karina que sempre me estenderam a mão) e universitários, que participaram desta pesquisa. Aprendi muito com vocês! À CAPES, pelo auxílio financeiro, permitindo dedicação exclusiva a este projeto. Obrigada! RESUMO A entrada, permanência e a conclusão de um curso de graduação requerem muitos esforços para conciliar demandas sociais, acadêmicas e pessoais. Em especial, a área da saúde, pois exige do universitário habilidades voltadas para a humanização das relações do cuidado. A adaptação ou não às novas exigências e situações podem se constituir como fatores de adoecimento para o estudante universitário, oferecendo riscos a sua saúde mental, como por exemplo, o desenvolvimento de depressão, ansiedade e fobia social. Objetivos: caracterizar e comparar dados sociodemográficos e psicossociais de estudantes universitários da área de saúde no que tange a seu repertório de habilidades sociais e saúde mental. Método: participaram da pesquisa 186 estudantes dos cursos de Resultados: na comparação entre os resultados dos indicadores de saúde mental e os indicadores de habilidades sociais, verificou-se que o grupo não clínico (saudável) possui melhor repertório de habilidades sociais, demarcado pelas seguintes habilidades: enfrentamento em situações de risco; auto-afirmação na expressão de sentimentos positivos; auto-exposição a desconhecidos e situações novas; autocontrole da agressividade; comunicação e expressão de opiniões; falar em público. Já o grupo clínico apresentou médias maiores na categoria "dificuldades" (consequências negativas e sentimentos negativos a emissão de seus comportamentos). Esta pesquisa corrobora com estudos desenvolvidos na área na medida em que apresenta associação e comparação significativa entre presença de um repertório de habilidades sociais bem desenvolvidas como recurso frente às situações de adoecimento mental. Conclusão: este estudo contribui com informações importantes sobre habilidades sociais e indicadores de saúde mental de universitários dos cursos de Fonoaudiologia e Odontologia, evidenciando a importância, para a Universidade, de atentar mais para a saúde mental de seus universitários, implementando medidas e programas que visem o mapeamento, desenvolvimento e perpetuação de habilidades sociais. Palavras-chave: Estudantes universitários. Habilidades sociais. Saúde mental. ABSTRACT Social Skills and Mental Health: characterization of college students from FOB-USP The entry, stay and completion of a university degree require many efforts in order to juggle social, academic and personal demands. In particular, the health area demands the student to develop skills related to the humanization of the care relations. The adaptation or not to these experiences and situations can become illness factors for the undergraduate student, posing risks to their mental health, for instance, the development of depression, anxiety and social phobia. Objectives: Characterize and compare sociodemographic and psychosocial data of the health area's university students regarding their repertoire of social skills and mental health. Method: the participants were 186 students attending the undergraduate courses of Dentistry and Speech Therapy at the Bauru School of Dentistry. The instruments used were a Sociodemographic and Psychosocial Questionnaire, the Social Skills Inventory (IHS), the Social Skills, Behaviors and Context Assessment Questionnaire for University Students (QHCU), the Beck Depression Inventory (BDI), the Beck Anxiety Inventory (BAI) and the Mini-Social Phobia Inventory (Mini-Spin). Results: In the comparison between the indicators of social skills and mental health, it was possible to verify the nonclinical group has a better repertory of social skills: coping with risk situations; expression of positive feelings; self-exposure to strangers and new situations; self control and aggression; communication and expressing opinions; speak in public. The clinical group presented higher averages in the "difficulties" (negative consequences and negative feelings towards their behavior). This research corroborates with studies developed in this area, presenting association and meaningful comparison between repertoire of well-developed social skills as a resource against mental illness situations. Conclusion: this study provides crucial data about social skills and mental health indicators in "speech therapy" and "dentistry courses", highlighting the importance for University to attend for the mental health of their students by implementing measures and programs to map, develop and perpetuate the aforementioned social skills.
doi:10.11606/d.25.2016.tde-05092016-150334 fatcat:ncq5hzp3inhzrartrgwyspvgc4