VI Congresso Internacional de Filosofia Medieval Linguagem e Conhecimento na Idade Média; I Encontro sobre História Dominicana

José Maria Da Cruz Pontes
2019
Em 1882, correspondendo a um pedido expresso do Papa Leão XIII, Désiré Mercier criou na Universidade Católica de Lovaina uma cadeira de filosofia tomista, que veio a ser o embrião do Instituto Superior de Filosofia, fundado em 1893. É bem conhecido o papel que desempenhou o futuro Cardeal Mercier e o seu Instituto no estudo da história da filosofia medieval, graças aos trabalhos de investigação do professor lovaniense Maurice De Wulf (1867-1947), continuados pelo seu discípulo e colaborador, o
more » ... o e colaborador, o Prof. F. Van Steenberghen. A par das pesquisas sobre os pensadores medievais, o Instituto desenvolveu notável actividade sobre a filosofia antiga, e particularmente sobre Aristóteles, de que se tornou um dos mais reputados especialistas o Prof. Augustin Mansion (1882-1966J, a cujo saber tivemos ainda a honra de poder recorrer, e de que são continuadores, de nomeada também internacional, os professores Susanne Mansion, sua sobrinha, e Gerard Verbeke. Por iniciativa de um dos discípulos de Van Steenberghen, o Prof. Herman-Leo Van Breda (1911-1974), foi fundado no Instituto Superior de Filosofia, em 1956, o «Centre De Wulf-Mansion», que dois anos depois, por ocasião da Exposição Internacional de Bruxelas, organizou em Lovaina um Congresso Internacional de Filosofia Medieval. Inserindo-se nas intenções da Exposição Mundial, o congresso escolheu como tema O homem e o seu destino segundo os pensadores da Idade Média. Neste congresso nasceu a ideia da criação da «Société Internationale pour l'Etude de la Philosophie Médiévale», que em 1961 promoveu o segundo congresso, realizado em Colónia, sob o tema A Metafísica na Idade Média. O centenário da Confederação canadiana e a Exposição Internacional de Montreal proporcionaram que o quarto congresso ali se reunisse em 1967, para tratar de As Artes Liberais e a Filosofia na Idade Média. Foi então resolvido que estes congressos passassem a realizar-se de cinco em cinco anos, em vez de cada três anos. Assim, o seguinte teve lugar em 1972, em Espanha. Levando em conta que a Península Ibérica foi um centro de floração filosófica muçulmana e judaica, com Averróis, Maimónides e Ibne Gabirol (Avencebrol), assim como foco de irradiação do novo conhecimento de Aristóteles e do saber grego no Ocidente, mercê das traduções aqui empreendidas, foi esse mesmo fenómeno que se escolheu como tema geral do congresso, Encontro de Cidturas na Filosofia Medieval, que decorreu em Madrid e nas duas cidades-chave do domínio islâmico, Córdova e Granada. VIII (1978) DIDASKALIA 399-410 400 DIDASKAI-IA
doi:10.34632/didaskalia.1978.777 fatcat:fhwzjxhwr5fylbohhn2kbnmrcm