Atividade física em pacientes com excesso de peso no ambulatório de obesidade infantil da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará

Olga Maria Domingues das Neves, Rafael Miranda Lima, Gilvana Nazaré Ribeiro Costa
2006 Revista Paraense de Medicina  
INTRODUÇÃO: o comportamento sedentário apresentado por crianças representa um problema de saúde pública, em função da associação com a obesidade infantil e piores níveis de saúde na idade adulta. OBJETIVO: caracterizar a atividade física de pacientes com excesso de peso. MÉTODO: realizado um estudo transversal através da revisão de prontuários de 82 pacientes entre 7 e 15 anos, ingressos no Ambulatório de Obesidade Infantil (AOI) da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará (FSCMPA), período
more » ... (FSCMPA), período de janeiro/2004 a dezembro/2005, aplicando-se o protocolo de pesquisa. Os dados obtidos foram submetidos à análise percentual. RESULTADOS: dos 82 pacientes, 72% tinham diagnóstico de obesidade e 28% de sobrepeso; 53,7% eram meninas e 46,3% eram meninos. Do total de pacientes, 68,3% não realizavam exercícios físicos; quanto à atividade de lazer, 67,1% não faziam atividades que requeressem maior gasto energético (TV, videogame, computador, desenhar...); em relação ao local em que mais brincavam, 80,5% dos pacientes brincavam em locais que não solicitam grandes esforços (casa, casa do vizinho...), 56,1% dos pacientes ao ir à escola, gastavam energia (à pé, pedalando ou remando). Não houve diferença significante de grau de inatividade física entre os estados nutricionais analisados. CONCLUSÕES: a inatividade física foi fortemente associada ao excesso de peso, devendo-se encorajar os pacientes e seus pais à prática de exercícios físicos e a uma vida não sedentária, além da formação de equipes multidisciplinares (médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos...) para otimização do tratamento.
doi:10.5123/s0101-59072006000400014 fatcat:4egnnzaqdfh3bogrq4ixj426c4