Fatores facilitadores, principais dificuldades e estratégias empregadas no aleitamento materno de bebês com síndrome de Down: uma revisão sistemática

Lorena Garcia Evangelista, Renata Maria Moreira Moraes Furlan
2019 Audiology: Communication Research  
RESUMO Objetivo Investigar, na literatura, as principais dificuldades encontradas no aleitamento materno de bebês com síndrome de Down, os fatores facilitadores e as estratégias utilizadas para melhorar a amamentação desses bebês. Métodos Foi realizada uma revisão sistemática nas bases de dados PubMed, SciELO e BVS. Os termos utilizados foram síndrome de Down e aleitamento materno e seus correspondentes em inglês e espanhol. Critérios de seleção: Foram incluídos artigos originais que abordaram
more » ... nais que abordaram o aleitamento materno na síndrome de Down, publicados em português, inglês ou espanhol, de janeiro de 1998 a dezembro de 2018. Foram consideradas informações referentes ao ano de publicação, país de realização da pesquisa, amostra, dificuldades percebidas na amamentação, fatores facilitadores, estratégias, metodologia e resultados. Resultados Foram encontradas 758 referências, das quais, seis contemplaram os critérios de seleção propostos. Estado emocional materno frente ao impacto da notícia, especificidades do bebê, dificuldades de sucção, internações frequentes e falta de apoio e conhecimento por parte dos profissionais de saúde foram aspectos que dificultaram a amamentação. Os principais fatores facilitadores citados foram experiência prévia e apoio familiar e profissional. Como estratégias diretas, foram apontadas a estabilização da cabeça e da mandíbula do bebê durante a mamada. As estratégias indiretas citadas relacionaram-se à capacitação profissional e intervenção multidisciplinar precoce. Conclusão Concluiu-se que as dificuldades na amamentação são provenientes da condição do bebê e da mãe. Experiência materna prévia e apoio familiar foram citados como facilitadores do aleitamento. As principais estratégias recomendadas foram indiretas e relacionadas com melhoria do sistema de saúde.
doi:10.1590/2317-6431-2019-2130 fatcat:4ynibz4f2vgd7b2v4dhgb72b6e