Deus, a morte e um povo suicida: o caso exemplar de Manuel Laranjeira

José Rui Teixeira
2020
A história da literatura portuguesa é uma espécie de caixa de ressonância em que Deus assoma em evocações, reflexões, afirmações e negações... desde a literatura medieval à homilética barroca, dos versos de um poeta romântico às páginas de um ficcionista contemporâneo. E a morte é uma presença profunda e impressiva no vórtice desse rumor desdobrado no tempo, uma presença tão mais enfática quanto mais silente. Entre a catarse e a agonia, alguns autores suicidaram-se, possibilitando assim a
more » ... tando assim a célebre expressão de Miguel de Unamuno que diz que somos um povo de suicidas, um povo suicida. É o caso exemplar de Manuel Laranjeira que nos permite o adentramento numa reflexão sobre Deus, a morte e um povo suicida.
doi:10.34632/humanisticaeteologia.2017.9377 fatcat:6s5snal54bebpgpfmdrjm5g5ym