Cidades, desigualdades e a dengue: lições de uma grande epidemia de dengue numa microárea de Porto Alegre, a Vila Sossego [chapter]

Maria Azambuja, Alzira Lewgoy, João Kolling, Igor Espíndola
2016 Estruturas e dinâmicas socioespaciais urbanas no Rio Grande do Sul: transformações em tempos de globalização (1991-2010)  
INTRODUÇÃO A urbanização historicamente ocorre com aumento de desigualdades, muitas das quais se manifestam como desigualdades na infraestrutura e no acesso a serviços que irão resultar em desigualdades sociais no adoecimento. Este trabalho relata a ocorrência e alguns desdobramentos do reconhecimento de uma microepidemia de dengue na Vila Sossego, em Porto Alegre, uma aglomeração urbana subnormal, por critérios do IBGE, e que é acompanhada desde 2011 pelo Projeto InterSossego de Extensão
more » ... o de Extensão Comunitária, do Programa Saúde Urbana da UFRGS O texto 1) introduz o tema "Saúde Urbana" e sua amplificação recente a partir da agenda global de desenvolvimento sustentável decorrente da intensificação do processo de urbanização no mundo; 2) apresenta o Programa Saúde Urbana, Ambiente e Desigualdades, da UFRGS, a Vila Sossego e o Projeto InterSossego, cenários deste estudo; 3) sumariza para os não-especialistas a epidemiologia da dengue no Brasil, até a epidemia de 2013, em Porto Alegre; 4) descreve o processo de identificação, pelo Projeto InterSossego, de uma epidemia de dengue no microterritório da Vila Sossego; 5) relata a discussão havida em oficina intersetorial, e com a participação de representante da comunidade, sobre essa microepidemia; 6) discute a relação entre a dengue e os ambientes urbanos e 7) conclui com uma discussão sobre o que a epidemia pode nos ensinar sobre potencialidades e desafios para a resolução de problemas em territórios específicos, com a participação da população local, e sobre a adequação da formação acadêmica dos futuros profissionais para os desafios da saúde urbana no século XXI. In: HEIDRICH, A. L.; SOARES, P. R. R.; TARTARUGA, I. G. P.; MAMMARELLA, R. (orgs.). Estruturas e dinâmicas socioespaciais urbanas no Rio Grande do Sul: transformações em tempos de globalização (1991-2010). Porto Alegre: Editora Letra1, 2016, p. 261-284. DOI http://dx.doi.org/10.21826/9788563800206p261-284 capítulo 10 azambuja, m. i.; lewgoy, a.; kolling, j. h.; espíndola, i. 262 A SAÚDE URBANA Se o século XX foi o século da explosão demográfica, observa-se que, nos últimos 40 anos, o crescimento da urbanização tem suplantado o crescimento populacional (Gráfico 1), o que faz da urbanização o fenômeno global do século XXI (WHO/UN-HABITAT, 2010). Na primeira década do século XXI, pela primeira vez na história, mais da metade da população humana vive em cidades. Na América Latina e no Brasil (Gráfico 2), o processo de urbanização inverteu a relação entre população rural e urbana ainda na década de 60 do século passado. Gráfico 1: Crescimento demográfico mundial por local de residência: urbano ou rural. Fonte: AZAMBUJA, 2014. Dados: UN, 2013. Gráfico 2: Crescimento demográfico no Brasil por residencia urbana e rural. Fonte dos dados: IBGE, 2010. cidades, desigualdades e a dengue: lições de uma grande epidemia de dengue numa microárea...
doi:10.21826/9788563800206p261-284 fatcat:645ze76n2rcnhhvrxamuwna2lu