Atores Sociais e Meio Ambiente: análise de uma rede transnacional de organizações da sociedade civil

Gedalva Terezinha Ribeiro Filipini
2010 Roteiro  
A polêmica que permeou o conflito sobre o projeto de construção da hidrovia Paraguai-Paraná, marcou a história dos países do Mercado Comum do Cone Sul (Mercosul) no final do século XX. O projeto, surgido em 1987, propunha a construção de uma hidrovia internacional conectando o porto de Nueva Palmira (Uruguai) a Cáceres (Brasil), em uma extensão de 3.442 quilômetros, com a finalidade de oferecer melhor ligação econômica entre os cinco países da região -Brasil, Bolívia, Paraguai, Argentina e
more » ... i, Argentina e Uruguai. Indicava obras capazes de provocar profundas alterações no ciclo hidrológico dos rios, e desencadear uma série de impactos socioambientais na região da Bacia do Prata e, sobretudo, na região do Pantanal. No cerne da questão encontra-se o conflito ambiental, alçado da esfera do poder político-econômico para o debate global, por meio da ação de um movimento contra-hegemônico de articulação dos atores sociais. Havia por parte do autor o firme propósito de investigar um exemplo bem sucedido de ação da sociedade civil, por meio do estudo investigativo em uma dimensão sociológica, com vistas a compreender os desafios enfrentados, suas estratégias e resultados. A escolha da Coalizão Rios Vivos, ocorreu em virtude de ser uma rede de ONGs e movimentos sociais composta por aproximadamente 300 entidades civis de inúmeros países da América e Europa, pensada a partir da necessidade de conquistar espaço de participação pública nas instâncias decisórias do projeto, dada sua inconsistência quanto aos impactos socioambientais. Estruturada du-
doaj:c7d647c3ae57499789db209df06239c2 fatcat:dvidqmgtgjcg5jcjdlqqy6wp5m