"AMAR A UN HOMBRE FEO": SARMIENTO FICCIONALIZADO - O INSÓLITO DO AMOR NO PARADOXO CIVILIZAÇÃO X BARBÁRIE

Adriana Aparecida Biancato, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Gislaine Gomes, Marina Luísa Rodhe, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Universidade Estadual do Oeste do Paraná
2020 EntreLetras  
Resumo: Ao optar por uma modalidade híbrida de escrita ficcional e histórica, a escritora argentina Maria Rosa Lojo apresenta em seu conto Amar a un hombre feo (2001) a figura do político e intelectual Domingo Faustino Sarmiento, fragmentada pela visão de sua amada, Ida Wickersham, que o vê como um homem fragilizado em busca do amor. Com base teórica nos estudos pós-coloniais como Santiago (2000), Weinhardt (2002), Fleck (2007;2011), entre outros, o presente artigo explorará o
more » ... o desconstrucionismo do discurso histórico hegemônico através da mediação entre história e ficção mediante o paradoxo civilização x barbárie que confere o aspecto insólito à obra. Palavras-chave: Amores insólitos de nuestra historia (2001); história e ficção; civilização x barbárie; Amar a un hombre feo; literatura latino-americana. Abstract: Opting for a hybrid modality of fictional and historical writing, the Argentine writer Maria Rosa Lojo presents in her short story Amar a un hombre feo (2001) the figure of the politician and intellectual Domingo Faustino Sarmiento, split by the vision of her beloved, Ida
doi:10.20873/uft.2179-3948.2020v11n1p337 fatcat:uk3su2aidvajnooeoj4kjjaz3i