Placas radioativas episclerais em melanoma de coróide Parte 1: Contribuição ao estudo dos efeitos locais

Maristela Amaral Palazzi, David H. Abramson
1994 Arquivos Brasileiros de Oftalmologia  
RESUMO Trinta pacientes com diagnóstico clínico de melanoma de coróide fo ram submetidos a tratamento com placas radioativas episclerais(CobaIt0-60, ). Após a terapia os pacientes fo ram seguidos por um tem po médio de 32,7 meses. O globo ocular fo i preservado com alguma visão útil em 100% dos casos. Houve redução da altura do tumor, após o tratamento, em 66,6% dos pacientes, sendo que a redução média da altura tumoral observada foi de 44,5%. A acuidade visual melhorou, após () tratamento, em
more » ... () tratamento, em 20% dos casos, e piorou em 66,6%. O descolamento da retina associado ao tumor esteve presente ao diagnós tico, em 56,5% dos pacientes, e reduziu-se, após o tratamento, em 64,7% dos casos. Sessenta por cento dos pacientes desenvolveram uma ou mais complicações durante o período de seguimento. As complicações mais freqüentes fo ram : a retinopatia e/ou papilopatia pela radiação, observadas em 16,6% dos pacien tes; hemorragias observadas em 16,6% e catarata, em 13,3%. A sobrevida foi de 100%, sendo que nenhum paciente desenvolveu doença metastática no período de seguimento. Palavras-chave: Melanoma da Coróide, Radioterapia, Braquiterapia INTRODUÇj\O Por muitas décadas, a enucleação pennaneceu como única prática aceita para o tratamento dos melanomas uveais I. O questionamento de sua efe tividade levou a tentativas de desenvol vimento de métodos terapêuticos alter nativos, pelos quais se pudesse destruir o tumor com preservação do globo ocu lar. Desse modo, técnicas como a ressecção cirúrgica, fotocoagulação, diferentes fonnas de radioterapia e até mesmo a simples observação passaram a ser preconizadas por alguns grupos para o tratamento de casos seleciona-dos \, 2. Outros métodos como a foto quimioterapia, a ultra-sonografia tera pêutica e a hipertermia são ainda expe rimentais 3. A irradiação constitui no presente a forma de terapia mais am plamente empregada no tratamento destes tumores, especiahnente através de sua modalidade de contato, também chamada braquiterapia. Utilizando di ferentes fontes radioativas, as placas de fixação escleral, idealizadas por Stallard na década de 30, são capazes de liberar altas doses de radiação em wna área localizada, alcançando desta forma, o efeito tumoricida desejado, com um mínimo envolvimento das es truturas nonnais adjacentes 3. 89 http://dx.
doi:10.5935/0004-2749.19940054 fatcat:kapnmvgl3jbdhb6f5hevskxguy