TERAPIA OCUPACIONAL NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) ADULTO E AS PERCEPÇÕES DA EQUIPE

Tatiana Barbieri Bombarda, Ana Luiza Lanza, Claudia Aline Valente Santos, Regina Helena Vitale Torkomian Joaquim
2016 Cadernos de Terapia Ocupacional  
Resumo: Introdução: A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), em 24 de fevereiro de 2010, aprovou a resolução de número 7, que dispõe sobre a obrigatoriedade do terapeuta ocupacional como profissional integrante da equipe atuante em Unidade de Terapia Intensiva. Acredita-se que, na terapia ocupacional, o âmbito da UTI se constitui como um local de reduzida atuação profissional, visto o escasso número de publicações encontradas na literatura. Objetivo: Descrever a experiência e as
more » ... xperiência e as ações desenvolvidas pela terapia ocupacional em uma UTI adulto, bem como relatar a percepção da equipe em relação a esta prática realizada em um Hospital Estadual, localizado no interior do Estado de São Paulo. Método: Trata-se de um relato de experiência em que se realizou análise documental para obtenção de dados referentes às ações desenvolvidas pela terapia ocupacional, assim como a aplicação de um questionário à equipe para compreensão das percepções dos profissionais em relação à assistência prestada. Os dados obtidos foram trabalhados por meio de análise de conteúdo temática. Resultados: Como resultado, foi identificado que as intervenções da terapia ocupacional transitaram por aspectos funcionais e de apoio ao enfrentamento, sendo possível constatar reconhecimento dessas ações pela equipe. Conclusão: A atuação descrita consiste em práticas provenientes do processo de inserção da terapia ocupacional em uma UTI adulto e vai ao encontro do desejo de se estimular o desenvolvimento de pesquisas neste âmbito, para o fomento de debates que promovam aprimoramento técnico da profissão na assistência a pacientes críticos. Palavras-chave: Abstract: Introduction: The National Health Surveillance Agency (ANVISA), on 24 February 2010, adopted resolution number 7, which makes mandatory the presence of an occupational therapist as an active member of the Intensive Care Unit professional team. It is believed that the ICU scope is a small professional practice in Occupational Therapy due to the small number of publications in the literature. Objective: To describe the experience and actions developed by occupational therapy in an adult ICU and report the staff awareness reagrding this practice at a state hospital, located in the state of São Paulo. Method: This is an experience report in which we conducted document analysis to obtain data regarding actions taken by occupational therapy, as well as the application of a questionnaire with the team to understand the professionals perceptions regarding the care provided. The data obtained was processed through thematic content analysis. Results: We identified that the occupational therapy intervention transited by functional aspects and support for coping, with the recognition of these actions by the team. Conclusion: The described action consists of practices derived from the occupational therapy insertion process in an adult ICU and meets the desire to encourage the research development in this area for the promotion of debates to promote technical improvement of the profession in the care of critically ill patients.
doi:10.4322/0104-4931.ctore0861 fatcat:whfaafdv6vffjptbs3mnldvygi