Os agentes comunitários de saúde nas práticas educativas: potencialidades e fragilidades

Elaine Franco dos Santos Araujo, Elisabete Pimenta Araújo Paz, Liane Gack Ghelman, Maria Yvone Chaves Mauro, Marilurde Donato, Sheila Nascimento Pereira de Farias
2018 Revista Enfermagem UERJ  
Objetivo: analisar a autoavaliação dos agentes comunitários de saúde (ACS) frente a sua atuação nas práticas e ações de educação em saúde, nas quais eles foram os facilitadores/moderadores. Método: estudo qualitativo, desenvolvido em 2013, com 36 ACS, em duas unidades de saúde da família do município do Rio de Janeiro. A pesquisa foi aprovada por Comitê de Ética e Pesquisa. Aplicou-se roteiro de entrevista semiestruturado para a obtenção dos dados. Os depoimentos foram submetidos à análise de
more » ... idos à análise de conteúdos. Resultados: obtiveram-se duas categorias: potencialidades – destacando-se a maior segurança decorrente das capacitações e satisfação; e fragilidades – como sobrecarga de trabalho e falta de tempo para planejar as atividades educativas. Conclusão: os ACS sentem-se realizados, porém, ainda, inseguros, para assumir e se apropriar das atividades de educação em saúde na comunidade, sendo, por isso, necessários maiores investimentos na formação e na educação permanentes dos ACS.
doi:10.12957/reuerj.2018.18425 fatcat:nuaabo53cvf4pphbkgrhm5pi3m