OLIMPÍADAS MODERNAS: A HISTÓRIA DE UMA TRADIÇÃO INVENTADA

Mariza Antunes De Lima, Clóvis J. Martins, André Mendes Capraro
2009 Pensar a Prática  
Resumo Esta pesquisa investiga se a origem das Olimpíadas Modernas pode ser compreendida como uma tradição inventada. Foi abordado o "ressurgimento" das Olimpíadas, uma comparação entre Jogos Helênicos Antigos (especificamente os Olímpicos) e as Olimpíadas Modernas e uma reflexão sobre os ideais e rituais inventados nas Olimpíadas da atualidade. A pesquisa baseia-se em dois autores: Eric Hobsbawm e Norbert Elias, sobretudo no que se refere ao esporte. O esporte como um fenômeno moderno
more » ... no moderno demonstra que esse "ressurgimento" dos Jogos Olímpicos e seus novos elementos, normalmente tratados por alguns autores como uma continuidade, devem ser compreendidos como uma tradição inventada. Palavras-chave: Jogos Olímpicos Modernos -História do Esporte -Tradição Inventada I T ratando-se da Civilização Helênica, história e mito em vários momentos se fundem, ganhando certa unidade. Entretanto, na era moderna, as Olimpíadas apresentam contradições quando acentuada sua derivação dos antigos Jogos Gregos. Elias e Dunning (1992, p. 189), por exemplo, refutam a idéia disseminada por muitos historiadores, que consideram o esporte como uma continuidade ou um "renascimento" de competições atléticas que teriam existido na antiguidade. Os referidos autores afirmam que os Jogos competitivos da Grécia clássica, normalmente identificados como o grande paradigma do esporte, apresentavam certas características próprias e se desenvolveram em condições muito distintas das que derivam os esportes atuais. Outro ponto de vista nesse mesmo sentido foi feito por Katia Rubio ao relatar que, diferentemente da cultura helênica, na qual o período dos Jogos representava um momento de trégua nas guerras e conflitos, as Olimpíadas Modernas já sofreram interrupções por duas grandes guerras e boicotes promovidos por Estados Unidos e União Soviética na década de 1980, indicando que o movimento olímpico não é tão apolítico como se proclama (RUBIO, 2001, p. 131). Ao referir-se aos Jogos Olímpicos, Pleket (1989 apud NETO 1998. 723) lembra que as diferenças entre os jogos antigos e os modernos não devem ser jamais esquecidas e que, entre essas diferenças, pode-se destacar que as competições antigas aconteciam sempre no mesmo lugar: o santuário de Olímpia, e os principais
doi:10.5216/rpp.v12i1.5874 fatcat:knrxntyg25cjfo7kbe3p4crklq