Percepção, interpretação e vivência estética segundo Agostinho de Hipona: uma estética do homem integral

Luís Evandro Hinrichsen
2015 Civitas Augustiniana  
Resumo: Partindo de antropologia unitária e integradora, este artigo pesquisa as relações entre percepção e interpretação do belo multiplamente presente no cosmos, nas obras dos artistas e no homem interior. A vivência estética, tema do presente estudo, é formadora da pessoa e supõe operação e integração das faculdades anímico-corpóreas. A partir de um exame das relações entre as faculdades da mente, este artigo salienta, igualmente, o caráter intencional da percepção, do conhecimento e da
more » ... hecimento e da experiência estética. Se a percepção já é ação intencional e espiritual, contudo, a vivência estética encontra seu termo quando, ao interpretarmos o belo sensível segundo critérios inteligíveis, nos dirigimos a Deus, Suma e Inefável Beleza. A ação estimativa estética, finalmente, é vital à educação da pessoa humana, pois conecta humano, divino e cósmico. O esteta atento, desde a vivência do belo, educa-se e responsabiliza-se na direção do amor e cuidado para com a beleza da criação de Deus. Amar e compreender o belo, portanto, educa afetos e razão, permite abertura às outras criaturas e a Deus, incentiva o cuidado. Palavras-chave: Faculdades corpóreo-espirituais, dados sensíveis e inteligíveis, percepção e interpretação, estimação estética, belo, intencionalidade, Sumo Belo, educação. Abstract: Starting from an explanation of Augustine's unitary and inclusive anthropology, this article analyses the relationship between perception and the interpretation of the beautiful, which is present in both the cosmos, the works of the artists and in the inner man. We will focus on the aesthetic experience, understood as way for shape the inner self, which presupposes the cooperation of the soul-body faculties. Examining the relations between the faculties of mind, this article also emphasizes the intentional nature of both perception, knowledge and the aesthetic experience. Indeed, sense perception is already intentional as a spiritual action of the soul, but aesthetic experience achieves its term when it takes into consideration the sensitive beauty according to intelligible criteria. This occurs when the human cognitive faculties flow to God, which is the Supreme and Ineffable Beauty. The aesthetic estimative action, finally, is vital to the education of the human person, because of the connection it allows between the human, the divine and the cosmos. By the experience of the beautiful, the attentive aesthete is educated in order to love and to take care of the beauty of God's creation. To 1 Doutor em Filosofia e Professor da PUCRS. love and understand the beautiful, therefore, educates affections and reason, encourages care and allows openness to other creatures as well as to God.
doi:10.21747/civitas/42015a3 fatcat:zc45gsw5qbbmjl5o6it67jse7u