Estratégias para o trabalho com textos na universidade

Mauricio Vieira Aires, Ana Cristina Silva Rodrigues, Suzana Schwartz, Ruhena Kelber Abrão Ferreira
2020 Research, Society and Development  
O uso de textos como estratégia didática, em diferentes componentes curriculares em cursos de licenciatura é muito frequente. Nos planos de ensino, na data referente à aula, os professores, muitas vezes apenas citam a referência do texto que será utilizado em determinadas aulas. Essa estratégia parece trazer implícita a "obviedade" dos objetivos de aprendizagem que desejam alcançar. Entretanto, devido aos problemas nos indicadores de aprendizagem, nas diferentes modalidades de ensino no Brasil,
more » ... e ensino no Brasil, evidenciados em diversas avaliações nacionais e estrangeiras, e, relacionando com o uso contumaz dessa estratégia na Educação Superior, resolvemos pesquisar o tema a fim de evidenciar as percepções dos alunos de cursos de Pedagogia sobre o uso da estratégia didática baseada na leitura de textos acadêmicos. Nossa hipótese inicial é de que há problemas nos processos de ensino e de aprendizagem decorrentes do uso frequente e equivocado dessa estratégia, que poderia ser mais bem explorada. A metodologia do estudo adota uma abordagem, qualitativa/descritiva/interpretativa/explicativa/compreensiva, reconhecendo o caráter complexo da realidade. Os sujeitos do estudo foram alunos ingressantes em cursos de Pedagogia de duas instituições de Educação Superior. As conclusões parciais são que os alunos têm dificuldade de atribuir significado a essa estratégia; que encontram dificuldades de leitura e compreensão textual; que raramente conseguem ler os textos demandados. Os motivos evidenciados estão articulados com o perfil dos estudantes de Licenciatura em Pedagogia, que ingressam nos cursos com importantes lacunas de conhecimento prévio e com a maneira como a estratégia didática é proposta. Como sugestões para superar esse desafio, nos encaminhamentos finais do texto foram apresentadas algumas alternativas de solução.
doi:10.33448/rsd-v9i8.6209 fatcat:ubx5lzqzy5ax5dq57emg64laym