À procura da origem da obra de arte: Heidegger leitor de Aristóteles

Carlos Arthur Resende
2014 Griot: Revista de Filosofia  
No presente trabalho, pretende-se abordar a destruição fenomenológica, operada por Heidegger no ensaio A Origem da Obra de Arte, dos termos "matéria" e "forma", tomados da filosofia aristotélica como fio condutor da interpretação do ente enquanto tal e, por conseguinte, também da obra de arte. Para Heidegger, tal par conceitual procede da interpretação do modo de ser do utensílio, e, portanto, não diz respeito ao modo de ser específico da obra. Como a história da metafísica orientou-se pelos
more » ... rientou-se pelos termos "matéria" e "forma" como fio condutor da interpretação do ente como tal, toda estética e toda filosofia da arte estão, para Heidegger, assentadas na compreensão de um modo de ser que é estranho à obra. Cabe a desconstrução desses conceitos como primeiro passo no caminho para a essência da obra.
doi:10.31977/grirfi.v10i2.614 fatcat:mt5uzz5x45buboz4bjyixqebru