A literatura de autoajuda e a produção de subjetividade feminina

Gisele Mocci (Haya Del Bel), Guilherme Augusto Souza Prado
2014 Fractal: Revista de Psicologia  
Neste artigo visamos uma análise crítica das condições de subjetivação oferecidas a partir da literatura de autoajuda da virada do século. Propomos seis categorias a fim de evidenciar o ideal identitário propagado nos textos alocando-os segundo o que é sua suposta essência, papéis sociais e valores. Apoiados nos estudos de Lasch e Giddens, percebemos que esta identidade feminina essencial, reitera o lugar de subjugação da mulher na sociedade ocidental. Seguindo pistas de Guattari e Rolnik,
more » ... tari e Rolnik, propomos uma concepção de subjetividade aquém da identidade e da essência individual ou de gênero, como atualização de forças de afetação e desejo.
doi:10.1590/1984-0292/1318 fatcat:jpnjybpcinfhvcgdepyf6bxdoi