Career adaptability and self‑efficacy in school‑work transition: the role of the perceived employability: a study with Higher Education students
Adaptabilidade de carreira e autoeficácia na transição para o trabalho: o papel da empregabilidade percebida: estudo com estudantes do Ensino Superior

Vítor Gamboa, Olímpio Paixão, Ana Isabel Palma
2014 Revista Portuguesa de Pedagogia  
Resumo A crescente complexidade do mercado de trabalho coloca novos desafios aos processos de inserção profissional dos diplomados do ensino superior, sobretudo num período em que se assiste a uma acentuada retração nas ofertas de emprego disponíveis. No âmbito dos fatores individuais, a adaptabilidade de carreira surge como um processo capaz de facilitar a transição para o mundo do trabalho, sobretudo no que diz respeito aos níveis de confiança com que os estudantes encaram a resolução das
more » ... a resolução das tarefas relativas à procura de emprego e à inserção profissional. Por outro lado, as instituições de ensino superior são cada vez mais chamadas a promover a empregabilidade dos seus alunos, embora ainda não seja suficientemente conhecida a relação entre a empregabilidade percebida e o investimento nas atividades de transição para o mundo do trabalho. Por conseguinte, este estudo teve como principal objetivo analisar o impacto da adaptabilidade de carreira na autoeficácia para a transição para o trabalho, considerando o efeito da empregabilidade percebida, numa amostra de 261 estudantes universitários (80.5% mulheres) com uma média de idades de 22.37 anos (DP = 6.77 anos). Os resultados encontrados sugerem que a adaptabilidade prediz a autoeficácia na transição para o trabalho, sobretudo através das dimensões confiança e curiosidade, e que a relação entre adaptabilidade e autoeficácia é parcialmente mediada pela empregabilidade percebida. Por último, são discutidas as implicações dos resultados para a intervenção vocacional, no âmbito do apoio aos processos de transição para o mundo do trabalho, junto dos estudantes do ensino superior. Abstract The growing complexity of the labor market posits new challenges to the processes of employability of higher education graduates, especially in a period where we can observe a sharp decline in the available job vacancies. Concerning the individual factors, career adaptability emerges as a process capable of facilitating the work transition, particularly with respect to the levels of confidence with which students perceive the resolution of job search and employability tasks. In turn, higher education institutions are increasingly called to promote the employability of its students. However it is still not sufficiently known the relationship between perceived employability and investment in work transition activities. Therefore, this study's main objective was to analyze the impact of career adaptability on the self -efficacy to work transition, considering the effect of perceived employability. Participants were 261 university students (80.5% women), with an average age of 22.37 years old (SD = 6.77 years). The results suggest that adaptability predicts self -efficacy in the transition to work, especially through the dimensions of confidence and curiosity, and that the relationship between adaptability and self -efficacy is partially mediated by perceived employability. Finally, we discuss the implications of these results for career intervention regarding the process of work transition amongst higher education students. Adaptabilidad de Carrera y la Autoeficacia en la Transición Escuela -Trabajo: El Papel de la Empleabilidad Percibida -un Estudio con Alumnos de Educación Superior Resumen La creciente complejidad del mercado de trabajo plantea nuevos desafíos a la inserción profesional de los graduados de educación superior, principalmente en un período en el que estamos asistiendo a una fuerte disminución de las ofertas de empleo disponibles. En los factores individuales, la adaptabilidad de carrera surte como un proceso capaz de facilitar la transición al mundo del trabajo, en particular con respecto a los niveles de confianza con la que
doi:10.14195/1647-8614_48-2_7 fatcat:liqcblyfn5acfbhggkfffh7pgm