Tratamento da Obesidade: Modelo de Grupo Baseado em Terapia Cognitivo Comportamental

Júlia Berger Guimarães, Mário Roberto Garcia Tavares, Cristina Rolim Neumann
2011 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade  
Introdução: O tratamento da obesidade em grupos (GO) tem um resultado variável conforme a metodologia utilizada, chegando a se obter uma perda ponderal (PP) de até 10% em três a seis meses. Embora muito utilizada na atenção primária, esta abordagem tem sido pouco estudada. Objetivo: Avaliar a evolução dos pacientes em acompanhamento em um GO, correlacionando seu perfil com sua permanência no grupo e a PP obtida. Também se buscou comparar os resultados com a literatura. Materiais e Métodos:
more » ... ais e Métodos: Estudo não-controlado, quase-experimento, com intervenção. Foram avaliados os pacientes que frequentaram pelo menos uma reunião do GO na Unidade Básica de Saúde HCPA, no período de outubro de 2007 a outubro de 2008. A busca ao GO foi por demanda espontânea ou por indicação do médico na consulta. Em encontros semanais, com duração de 90 minutos, foram utilizadas técnicas de educação cooperativa, cognitivo-comportamentais e motivacionais para PP, adesão à dieta e atividade física, aferido peso semanalmente, discutidos os resultados em grupo e fornecida dieta hipocalórica. Os pacientes foram classificados em: não-aderentes (NA) e aderentes (A), conforme tenham participado de ≤2 ou ≥3 encontros, respectivamente. Foram avaliados a PP e os possíveis fatores relacionados a isso. Os resultados são descritivos e em comparações, utilizando o teste t, Mann Whitney, qui-quadrado e a correlação de Spearmann. O nível de significância foi de 5%. Resultados: Foram avaliados 69 pacientes, 62 (89,9%) do sexo feminino, idade de 49,2±13,2; 33 classificados como NA e 36 como A. Comparando estes dois grupos, observamos a diferença quanto ao peso inicial: NA=98,7±24,7 e A=88,4±16,8, p<0,05; e quanto ao percentual de mulheres: NA=26 (81,3%) e A=35 (97,2%), p<0,05; e semelhança quanto à idade, escolaridade, cor e estado civil. Houve correlação entre o número de reuniões e a PP (r=(-)0,61, p<0,0001). Nos 20 participantes com permanência ≥12 semanas, observou-se PP média de 6,63 kg. Conclusões: O GO obteve um bom resultado para os pacientes mais aderentes e parece ser mais adequado ao tratamento das mulheres e indivíduos com menores graus de obesidade. O ideal será a inclusão de um Grupo Controle em um próximo estudo. Introduction: The obesity treatment in groups (OT) has a variable result depending on the methodology used, having a weight loss (WL) of up to 10% in 3-6 months. Although it is very used in the primary attention, this method has been little studied. Objective: To evaluate the evolution of the patients with accompaniment in a OT, relating their profile to their stay in the group and the WL obtained. We also compared the results with literature. . The search for OT was by spontaneous demand or suggestion of the doctor at the consult. During weekly meetings, with duration of 90 minutes, cooperative education, cognitive behavior and motiviational techniques for WL were used, the start of diet and physical activity, weekly weight checks, results discussed in the group and a hipocaloric diet was provided. The patients were classified in: nonadherent (NA) and adherent (A), according to participation in ≤2 or ≥3 meetings, respectively. The PP and possible factors related to this were evaluated. The results are descriptive and comparative using the t-Test, Mann Whitney, chi-square tests and the Spearman correlation. The level of significance was 5%. Results: Sixty-nine patients were evaluated, 62 (89.9%) were female, age of 49.2±13.2; 33 were classified as NA and 36 as A. Comparing these two groups, we observed the diference regarding initial weight: NA=98.7±24.7 and A=88.4±16.8, p<0.05; and as for the percentage of women: NA=26 (81.3%) and A=35 (97.2%), p< 0.05; and similarity of age, level of education, color and marital status. There was a correlation between the number of meetings and the WL (r=(-)0.61, p<0.0001). In the 20 participants that stayed ≥12 weeks, we observed an average of 6.63 kg. Conclusions: The OT had a good result for the patients who were more adherent and seems to be more adequate for the treatment of women and individuals with lower obesity level. The ideal would be the addition of a control group in a next study.
doi:10.5327/z1809-59092011001800022 fatcat:fy6hzh24ezextajn4zd26qwoxy