Uma Lulik as Heritage: Authorised Heritage Discourse in Timor-Leste*

Carolina Boldoni
2020 e-cadernos ces  
Timor-Leste has endured different foreign presences: the Portuguese colonisation , the Indonesian military occupation and, since the restoration of the national independence (2002) which has been defined the "NGOs invasion" (Brunnstrom, 2003) . These different governances have produced various Authorised Heritage Discourses -AHD (Smith, 2006) whose echoes are traceable in the current national AHD. This paper, based on 15 months of ethnographic fieldwork, shows the entanglements between the
more » ... ts between the previous colonial AHDs and the current one in Timor-Leste, in regard to ancestral houses (uma lulik). The aim is to examine heritage as a historical process by showing how the current post-colonial AHD is affected by the inference of the past and colonial perspectives on the local heritage, producing and reproducing neocolonial governmentalities. Resumo: Timor-Leste sofreu a presença de diferentes poderes estrangeiros: a colonização portuguesa (1515-1974), a ocupação militar indonésia e, desde a restauração da independência nacional (2002) , uma "invasão de ONG", como foi definido por Brunnstrom (2003) . Estas diferentes administrações produziram vários Discursos Autorizados de Património -DAP (Smith, 2006) , cujo eco ressoa no atual DAP nacional. Este trabalho, baseado numa etnografia de 15 meses, analisa os envolvimentos entre os anteriores DAP coloniais e o atual em Timor-Leste, relativo às uma lulik (casas ancestrais). Pretende-se analisar o património como um processo histórico, mostrando como o atual DAP pós-colonial é influenciado pelas inferências das perspetivas passadas sobre o património local, produzindo e reproduzindo governamentalidades neocoloniais. Palavras-chave: casas ancestrais, colonialismo, descolonização, património, Timor-Leste.
doi:10.4000/eces.5298 fatcat:6pgv7uklerabfcs6cieqxe4qfq