As políticas de memória, verdade, justiça e reparação no primeiro ano do governo Bolsonaro: entre a negação e o desmonte | The politics of memory, truth, justice and reparation in the first year of the Bolsonaro government: between denial and dismantling

Pedro Rolo Benetti, Caio Cateb, Paula Franco, Carla Osmo
2020 Mural Internacional  
O ano de 2019 marcou o início do primeiro governo pós-redemocratização a articular um discurso público abertamente contrário aos direitos humanos. A nova conjuntura impõe a abertura de uma nova agenda de pesquisa em torno dos discursos, estratégias políticas e recursos administrativos empregados no enfrentamento aos direitos humanos enquanto conjunto de princípios, mas também enquanto uma série de políticas públicas construídas pelo Estado brasileiro ao longo das últimas três décadas. O
more » ... décadas. O presente artigo pretende definir contornos para esta investigação ao explorar o caso específico do campo de memória, verdade, justiça e reparação. De fato, uma das marcas da inserção pública de Jair Bolsonaro, a exaltação à ditadura militar (1964-1985), se converteu, no primeiro ano de seu governo, em ações no sentido de reorientar os órgãos do Estado responsáveis por trabalhar com a memória e reparação das graves violações aos direitos humanos ocorridas no período autoritário por responsabilidade de agentes do Estado brasileiro.Palavras-chave: Direitos Humanos; Autoritarismo; Memória, verdade e justiça.ABSTRACT2019 marked the beginning of the first post-redemocratization government to articulate a public discourse openly contrary to human rights. The new conjuncture imposes the opening of a new research agenda around the speeches, political strategies and administrative resources used to confront human rights as a set of principles, but also as a series of public policies built by the Brazilian State over the last three decades. This article intends to define outlines for this investigation by exploring the specific case of the field of memory, truth, justice and reparation. Indeed, one of the hallmarks of Jair Bolsonaro's public insertion, the exaltation of the military dictatorship (1964-1985) became, in the first year of his government, actions aimed at reorienting the State organs responsible for working with the memory and repair of serious human rights violations that occurred in the authoritarian period.Keywords: Human Rights; Authoritarianism; Memory, truth and justice. Recebido em 29 jan. 2020 | Aceito em 30 jun. 2020.
doi:10.12957/rmi.2020.48060 fatcat:fprpbi4f7vd57hsr6z2uqspowq