A influência do método Pilates na flexibilidade muscular, sintomas e qualidade de vida em mulheres com dismenorreia primária

Juliany M. Abreu da Fonseca, Caroline Santos Radmann, Fabiana Teixeira de Carvalho, Laiana S. de Andrade Mesquita
2016 Scientia Medica  
Este artigo está licenciado sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite uso irrestrito, distribuição e reprodução em qualquer meio, desde que a publicação original seja corretamente citada. RESUMO Objetivos: Investigar a influência dos exercícios do método Pilates sobre a flexibilidade muscular, sintomatologia e qualidade de vida em mulheres com dismenorreia primária. Métodos: Foi realizado um ensaio clínico não controlado com 10 universitárias de 18 a 25
more » ... sitárias de 18 a 25 anos de idade com dismenorreia primária, que participaram de um protocolo de exercícios baseado no método Pilates. O protocolo constou de 13 exercícios, no solo e com bola, com duração de 50 minutos e frequência de três vezes por semana, totalizando sete semanas. As participantes foram avaliadas antes e após as sete semanas de atendimento pelo teste de distância dedo-solo para flexibilidade muscular, escala visual analógica para dor e o questionário Short Form-36 para qualidade de vida. Os dados foram analisados com o Bioestat ® e apresentados por média e desvio padrão. Após o teste Shapiro-Wilk, aplicou-se teste t de Student ou Wilcoxon, com significância estatística para p≤0,05. Resultados: Entre as avaliações feitas antes e depois da aplicação dos exercícios do método Pilates houve aumento da flexibilidade, caracterizado pela redução da distância dedo-solo (p=0,007). Houve redução da dor, tanto em intensidade (7,5±1,6 para 4,5±3,2, p=0,005) quanto em duração (45,6±19,4 para 21,6±16,7 horas, p=0,007), diminuição percentual dos sintomas mais prevalentes -cansaço (90% para 60%), irritabilidade (80% para 50%) e cefaleia (50% para 20%) -e redução do uso de medicação (80% para 40%). O Short Form-36 mostrou aumento significativo nos escores de qualidade de vida em três dos oito domínios: dor (45,2±13,5 para 59,3±22,0; p=0,022), estado geral de saúde (68,7±14,9 para 80,6±16,0; p=0,035) e saúde mental (62±18,5 para 73,2±14,3; p=0,038). Conclusões: Além de alívio álgico, os exercícios do método Pilates proporcionaram melhora da flexibilidade muscular, redução da dor e dos desconfortos associados à dismenorreia e influência positiva na qualidade de vida, indicando ser alternativa eficaz para o tratamento sintomático da dismenorreia primária. ABSTRACT Aims: To investigate the influence of Pilates on muscular flexibility, symptoms, and quality of life in women with primary dysmenorrhea. Methods: An uncontrolled clinical trial was conducted with 10 university students aged 18 to 25 years with primary dysmenorrhea who participated in an exercise protocol based on the Pilates method. The protocol included thirteen 50-minute floor and ball exercises three times a week for seven weeks. Participants were assessed before and after seven weeks for muscular flexibility by the fingertip-to-floor test, for pain by the visual analog scale, and for quality of life by the Short Form-36 health survey. Data were analyzed with Bioestat ® and presented as mean and standard deviation. After the Shapiro-Wilk test, either Student's t test or Wilcoxon test was applied, and statistical significance was attained when p≤0.05. Results: The assessments before and after the Pilates sessions showed an increase in flexibility, characterized by reduction in the fingertip-tofloor distance (p=0.007). Pain decreased both in intensity (7.5±1.6 to 4.5±3.2, p=0.005) and in length (45.6±19.4 to 21.6±16.7 hours p=0.007); the most prevalent symptoms were relieved -fatigue (from 90 to 60), irritability (from 80 to 50%), and headache (from 50 to 20%); and medication use was reduced from 80 to 40%. The Short Form-36 showed a significant increase in quality of life scores in three of eight domains: pain (45.2±13.5 to 59.3±22.0; p=0.022), general health (68.7±14.9 to 80.6±16.0; p=0.035), and mental health (62±18.5 to 73.2±14.3; p=0.038). Conclusions: In addition to pain relief, Pilates exercises improved muscular flexibility, reduced pain and discomfort associated with dysmenorrhea, and had a positive influence on quality of life, proving to be an effective alternative for the symptomatic treatment of primary dysmenorrhea.
doi:10.15448/1980-6108.2016.2.23052 fatcat:erp32mtzknccvomnox6g4a53oa