ESTUDO DA CINÉTICA E AJUSTES DE MODELOS MATEMÁTICOS AOS DADOS DE SECAGEM DO BARBATIMÃO (Stryphnodendron adstringens)

R. T. BAIA, L. P. ALMEIDA, S. de O. MORENO, L. de A. da SILVA, W. da L. RODRIGUES
2015 Anais do Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica - Cobeq IC 2015   unpublished
RESUMO -A espécie Stryphnodendron adstringens, de ampla distribuição geográfica e popularmente conhecida como barbatimão é tradicionalmente utilizada como adstringente, antimicrobiano, homeostático, anti-hipertensivo e coagulante sanguíneo. O presente trabalho propôs analisar a secagem convectiva do barbatimão em leito fluidizado. Na prática experimental, primeiramente, determinou-se a umidade inicial da entrecasca em estufa durante 24 h a 103 ± 2°C. Foram realizados dois ensaios utilizando-se
more » ... aios utilizando-se um secador de leito fluidizado tipo túnel. Para o tratamento da secagem, utilizaram-se temperaturas de 68 e 78 °C ± 2 °C e velocidade do ar de 1 e 0,5 m/s ± 0,1 m/s por um período de 5 h. Aos dados experimentais foram ajustados seis modelos matemáticos utilizados para representação da secagem da entrecasca do barbatimão. Com base nos resultados obtidos, o modelo matemático de Dois termos foi o que melhor representou a cinética de secagem da casca do barbatimão. INTRODUÇÃO A espécie Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville (Leguminosae), conhecida popularmente como barbatimão, casca-da-virgindade ou barãozinho-roxo tem distribuição geográfica ampla, ocorrendo desde o Pará, passando pelo planalto central, até Minas Gerais e São Paulo (Lorenzi, 1992; Almeida et al, 1998) . O barbatimão é tradicionalmente utilizado como adstringente, antimicrobiano, homeostático, antidiarreico, anti-hipertensivo, coagulante sanguíneo, e ainda no tratamento de hemorragias e inflamações (Soares et al., 2008; Oliveira; Figueiredo, 2007) . O interesse por produtos com potencial terapêutico cresce continuamente, devido a esta demanda torna-se primordial o desenvolvimento de técnicas eficientes de secagem e armazenamento para que a planta e suas propriedades químicas possam ser aproveitadas de forma integral e efetiva (Tabaldi et al., 2012) . Em espécies medicinais a secagem é uma operação unitária de preparação para o armazenamento a fim de atender às necessidades da indústria farmacêutica de fitoterápicos, pois estas não possuem disponibilidade de plantas frescas por todo o período de produção industrial (Lorenzi; Matos, 2008). O processo de secagem proporciona uma considerável redução de volume, ocasionando em uma redução de custos em transportes e manipulação do produto, além de possibilitar a conservação da matéria-prima por maior tempo e aumentar o
doi:10.5151/chemeng-cobeqic2015-242-32974-251386 fatcat:yncbxtah65exfkifjf7s46rfye