A FORMAÇÃO DO PENSAMENTO CRIMINOLÓGICO CRÍTICO MATERIALISTA: DA REAÇÃO SOCIAL À CRIMINALIZAÇÃO SOCIAL

José Carlos Cunha Muniz Filho, Larissa Teixeira Oliveira
2014 Revista Brasileira de Criminalística  
Resumo O presente artigo possui, como problemática, a investigação da formação do pensamento criminológico crítico materialista e seus institutos, partindo-se do surgimento da teoria do labelling approach -teoria do etiquetamento -até o desenvolvimento das formulações estruturais e políticas das concepções do delito penal. Durante o desenvolvimento, serão trabalhadas as fases da reação social, bem como a densificação realizada pela criminologia crítica, questionando os mecanismos de poder
more » ... smos de poder envolvidos na definição de crime e as questões primordiais que tangem esse aprofundamento político. Ainda, serão apresentados apontamentos e considerações dessas teorias no âmbito da política penal contemporânea. Por fim, serão estudadas as construções elaboradas pela criminologia materialista, visando expor, não só críticas realizadas ao sistema penal vigente, como também, apontamentos para um novo enfrentamento e classificação das condutas socialmente danosas. Abstract This article presents as a problem the investigation of the formation of materialistic criminological thinking and its institutions, starting from the arrival of the labeling theory approach, up until the development of structural and political conceptions regarding a criminal offense. This paper's development will approach the phases of social reaction, as well as its densification conducted by criminological criticism by questioning the power mechanisms involved in the definition of crime and the major issues that concern this political question. Also, notes and considerations will be presented in the context of these theories of contemporary penal policy. Finally, it will be studied the buildings led by the development of materialistic criminology, seeking to expose not only the criticisms made of the current criminal justice system, as well as notes for a new classification and coping of socially harmful conduct.
doi:10.15260/rbc.v3i1.58 fatcat:5q4zmovvbfcpfftjzhxntdsrsy