Correlação entre sintomas e avaliação perceptivo-auditiva da voz em indivíduos disfônicos

Dhayane Klodsinki, Congeta Bruniere Xavier Fadel, Francine Marson Costa, Rosane Sampaio Santos, Marcelo de Oliveira Rosa, Ana Paula Dassie-Leite
2015 Audiology: Communication Research  
Objetivo Correlacionar os sintomas vocais e os dados da avaliação perceptivo-auditiva da voz de indivíduos disfônicos. Métodos Foram analisados os prontuários de 30 indivíduos com queixas vocais, atendidos em um serviço de Fonoaudiologia, sendo 22 mulheres e oito homens, com média de idade de 51,8 anos (±15,5). Foram coletadas as seguintes informações: resultados da Escala de Sintomas Vocais (ESV) dos domínios Limitação, Emocional, Físico e Total; resultados da avaliação perceptivo-auditiva por
more » ... eptivo-auditiva por meio do protocolo CAPE-V (grau geral do desvio vocal, rugosidade, soprosidade, tensão, pitch, loudness e ressonância). Ambos os procedimentos foram realizados pela fonoaudióloga responsável, na primeira consulta do paciente. Os dados foram analisados estatisticamente. Resultados Houve correlações positivas consideradas boas apenas para os cruzamentos entre as variáveis "Escores totais da ESV" x "Grau geral do desvio vocal" e "Escores Limitação da ESV" x "Grau geral do desvio vocal". Os escores dos domínios Limitação e Total da ESV tiveram correlação regular com o parâmetro rugosidade. Os demais parâmetros perceptivo-auditivos, de forma isolada, principalmente soprosidade de tensão, não se correlacionaram com os sintomas vocais. Conclusão A relação entre os sintomas vocais e as características perceptivo-auditivas da voz não é direta. No entanto, os sintomas relacionados à funcionalidade, ou seja, às limitações vocais e de comunicação, parecem ter maior correlação com a avaliação clínica, especificamente com o parâmetro "grau geral do desvio vocal".
doi:10.1590/s2317-64312015000100001465 fatcat:dzrb6dnayfbpphpjzfuln55z3m