O inventário da paisagem da foz do rio São Francisco nos estados de Alagoas e Sergipe: uma experiência de investigação do patrimônio cultural

Mônica de Medeiros Mongelli
2016 Identidades. Territorio, cultura, patrimonio  
RESUMO Este artigo apresenta uma experiência de trabalho conduzida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional -IPHAN/ Ministério da Cultura/ Governo Federal do Brasil, através de uma equipe de especialistas contratados, que desenvolveu o Inventário da Paisagem Cultural na Foz do Rio São Francisco, porção territorial que inclui os municípios de Pacatuba, Brejo Grande e Piaçabuçu, nos Estados de Alagoas e Sergipe, região Nordeste do Brasil. O método de invent rio oi o erecido
more » ... io oi o erecido pelo IPH e se baseou nas fichas do Sistema Integrado de Conhecimento e Gestão -SICG e em um questionário para entrevistas, com o objetivo de gerar análises e interpretações acerca das referências culturais das comunidades que vivem tradicionalmente na paisagem. Palavras chave: paisagens culturais, Rio São Francisco, inventário, processos territoriais r uitetura vernacular em palafita.Ilha do Caba o, Pacatuba/SE. Foto de Mariana Diniz, 2014. Fonte: Acervo IPHAN -"Inventário de conhecimento do Patrimônio Cultural da Foz do Rio São Francisco, nos municípios de Brejo Grande, Pacatuba e Piaçabuçu -SE e AL". Empresa contratada: Memória Arquitetura (2014). RESUMEN Este texto presenta una experiencia de trabajo llevado a cabo por el Instituto del Patrimonio Histórico y Artístico Nacional -IPHAN/ Ministerio de Cultura de Brasil, a través de un equipo de especialistas contratados, que realizó el Inventario del Paisaje Cultural en la desembocadura del Río San Francisco, porción territorial que incluye las municipalidades de Pacatuba, Brejo Grande y Piaçabuçu, en las províncias de Alagoas y Sergipe, región Nordeste de Brasil. l método del inventario ue o recido por el se basó en fichas del Sistema Integrado de Conocimiento y Gestión -SICG y en un cuestionario para entrevistas, con el objetivo de generar análisis e interpretaciones acerca de las referencias culturales de los pueblos que viven tradicionalmente en el paisaje. ABSTRACT his paper presents an e perience o or carried out b the ational istoric and rtistic eritage nstitute inistr o ulture o ra il, through a hired e pert sta , ho conducted the inventor o the ultural andscape o the mouth o the an rancisco iver, a territorial portion that includes the municipalities o acatuba, ia abu u and re o rande, in the states o lagoas and ergipe, ortheast Region of Brazil. he inventor method as o ered b the and as based on the orms o the ntegrated System o no ledge and anagement and on a questionnaire or intervie s, used in order to generate anal sis and interpretations about the cultural re erences o peoples living traditionall in the landscape. pesquisadores contratados se desse essencialmente em campo, com foco nas entrevistas com as comunidades tradicionais. Embora o trabalho de gabinete tenha se mostrado igualmente importante, principalmente para a síntese, interpretação e utilização dos dados coletados, o objetivo primordial do trabalho era mesmo conhecer as comunidades locais, os modos de vida coletivos, aferir a existência de relações de memória e identidade com a paisagem local e regional, bem como atentar para as atividades produtivas, como a pesca artesanal, a carpintaria naval tradicional, a agricultura familiar, o extrativismo, a coleta e o processamento do sururu. Por outro lado, um pouco do conhecimento preliminar até então disponível sobre a região da foz, o qual permitiu a elaboração objetiva do Termo de Referência para a contratação dos serviços mencionados, deveu-se ao apoio de parceiros interessados na preservação do patrimônio, e em especial ao Sr. Carlos Eduardo Ribeiro Júnior, biólogo e Presidente da Associação Canoa de Tolda -Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco. A articulação entre o IPHAN e seus parceiros, por sua vez, foi uma construção fomentada a partir da aplicação e difusão de outros dois inventários de varredura precedentes, que abrangeram localidades na calha do Rio São Francisco em cinco Estados da Federação: Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. Igualmente baseados no SICG, esses inventários do IPHAN foram realizados nos anos de 2008 a 2010, e objetivaram uma varredura bem geral sobre o patrimônio cultural relacionado ao rio. Tal panorama será relatado no tópico seguinte. 2. ANTECEDENTES: A POLÍTICA INSTITUCIONAL E OS INVENTÁRIOS DE VARREDURA Conforme já mencionado, o projeto de realização do inventário de varredura de localidades na calha do Rio São Francisco remonta ao ano de 2008 e foi defendido pela área central do IPHAN em um contexto em que o corpo dirigente, apoiado pelo Ministério da Cultura, analisava o modo como o patrimônio cultural estava representado no território nacional. Diagnosticou-se que havia distribuição desigual dos bens protegidos entre os Estados da Federação e também que algumas temáticas vinham sendo repetidamente priorizadas na prática preservacionista -tudo isso com base em levantamentos, produção de dados estatísticos, mapas, avaliação de relatórios sobre gestão. Para além desse esforço de primas e dos recursos existentes na região, tais como peixes, crustáceos e frutos do mar. Esse modo de a er também oi in uenciado por elementos da cultura alimentar nordestina. os povoados e nos distritos sede dos tr s munic pios pesquisados oi identificada a presen a de uma culinária t pica que congrega tais ingredientes. Esse modo de fazer, pela sua natureza, envolve um grupo de praticantes bastante amplo, se desenvolvendo tanto no âmbito doméstico como para fins comerciais. -Cultura do coco (modo de fazer/ofício); A presença de coqueirais é bastante recorrente nas paisagens da região da foz do Rio São Francisco. Embora essa formação vegetal não seja nativa da região, os coqueiros constituem-se em elementos marcantes da paisagem de diversos trechos dessa por o territorial. ua cultura é amplamente di undida em localidades dos tr s munic pios, havendo significativa quantidade de pequenos produtores que se dedicam à sua exploração e comercialização. Embora os cocos produzidos sejam destinados majoritariamente a outros mercados, parte dessa produção é consumida internamente na culinária local, sendo usado no preparo de peixes ou das famosas cocadas produzidas pela 'Associação de Doceiras e Artesãs de Saramém'. ... Os instrumentos utili ados pelo catador de coco s o semelhantes em toda a regi o onde há incid ncia dessa cultura a peia, o ac o que geralmente fica preso cintura pela bainha de couro e um recipiente com uma substância utili ada para a astar marimbondos. -Festa de Bom Jesus dos Navegantes (celebração); Sobre essa celebração, a contratada apontou valores culturais e, ao mesmo tempo, fragilidades: a Festa de Bom Jesus dos Navegantes é recriada todos os anos em Brejo Grande e Piaçabuçu. No entanto, nota-se uma tendência de que os eventos relacionados esta os sho s, barraquinhas e parques promovidos ou apoiados pela re eitura unicipal ganhem maior destaque do que propriamente os ritos de devo o. ... corrida de embarca es é um dos eventos ligados esta de om esus dos avegantes, celebra o que mobili a a comunidade local anualmente. ode se afirmar que a reali a o desse evento antes da prociss o uvial de om esus dos avegantes estabelece uma cone o entre esses dois contextos rituais, congregando valores religiosos, saberes relacionados à construção dessas canoas e atividade de navegação naquela região. Produção de cocada. Associação das Doceiras de Brejo Grande/SE. Foto de Mônica Mongelli, 2012 Coleta de Massunim. Pacatuba/SE. Foto de Mônica Mongelli, 2012 parte deles não se a específica ou e clusiva do local, dado ue representam tra os gerais das culturas nordestina e brasileira. ambém não h significativo uantitativo de bens materiais passíveis de receberem proposta de proteção patrimonial individual. Porém, há, sim, tradições enraizadas entre as comunidades ribeirinhas e o rio, bem como laços afetivos e de pertencimento entre os grupos sociais e a paisagem local -esta com valor estético e monumental, por seus atributos naturais, ambientais e ecológicos. Além desses valores paisagísticos evidentes, podemos inferir que o espírito do lugar reside também no poder simbólico do rio e na indissociabilidade entre ele e os modos de vida tradicionais estabelecidos no local. Há profundo conhecimento coletivo sobre as dinâmicas do meio e também uma relação sustentável estabelecida entre as comunidades ribeirinhas e o Rio São Francisco. Aí, acreditamos, residiriam os principais fundamentos para a declaração da porção territorial como "Paisagem Cultural Brasileira". Produto 3 -Relatório sobre legislação incidente na porção territorial da Foz do Rio São Francisco e preenchimento das fichas SICG do módulo de Gestão Em continuidade leitura do território e identifica ão dos valores culturais da paisagem da o , essa etapa previu o tratamento e a ualifica ão das an lises produ idas nas duas etapas anteriores, buscando precisão no diagnóstico, delimitação da porção territorial a ser acautelada e subsídios para um plano de gestão. oram utili adas as fichas SICG do Módulo de Gestão M20 Pré Setori a ão com o ob etivo de condu ir delimita ão da por ão territorial; identifica ão de reas di erenciadas que a integram; à sua subdivisão em setores; e à concepção de diretrizes gerais de gestão. Esse e ercício preliminar oi detalhado por meio da ficha M202 Caracteri a ão dos Setores, na qual houve uma aproximação escalar da porção territorial delimitada e se descreveu o que está contido em cada setor ou unidade de paisagem. Isso envolve identificar, a cada pe uena por ão do território, uais seus principais atributos, os atores de risco, as potencialidades, pressões e demandas, culminando em diretrizes de planejamento Empresa contratada: Memória Arquitetura. Acervo IPHAN (2014). nventário de conhecimento do atrim nio ultural da o do io o rancisco, nos munic pios de re o rande, acatuba e ia abu u e . Empresa contratada: Memória Arquitetura.
doi:10.5821/identidades.8839 fatcat:5vqoqy7mqrewhck77yaueznypq