Homenagem a Paim

Yone Soares de Lima
1988 Revista do Instituto de Estudos Brasileiros  
Everybody knows that our cities were built to be destroyed [...]. "Maria Bethânia", de Caetano Veloso. As remanescentes construções gregas de seu período áureo, a Necrópole de Gizé, as edificações restantes da civilização maia, e mesmo Roma, metrópole em que atualmente o antigo conflui com o moderno, nos servem de exemplo da fragilidade quanto à continuidade das coisas. Isso, no nível concreto. Se nos atentarmos para a mentalidade, os modos de viver, em suma, a cultura, também atestaremos a
more » ... m atestaremos a dinâmica que ocorre neste processo, já que os valores e modos de vida estão igualmente em constante modificação e mutação. Nada no mundo está fadado à eterna e portentosa existência através dos tempos. Isto é uma constância do processo social, visto que suas dinâmicas se alteram a todo o momento. Mas o que se tem acompanhado desde o início do capitalismo é uma tendência acelerada dessas mudanças, em ritmo frenético e sempre exponencial. A superação e destruição das tradições, o rompimento e distanciamento com as formas de vivências consideradas antigas, o desejo incessante pelo novo, a constante busca pelo mais moderno e tantos outros exemplos são algumas das prerrogativas encontradas no cerne desse sistema econômico, que sempre intentou ser global e total, e em certa medida hoje o é. As primeiras barreiras enfrentadas pelo capitalismo foram os limites impostos pela tradição, principalmente a tradição religiosa, já que, em maior ou menor grau, a religião fora a base de organização de toda a vida social, indo desde as regras quanto aos comportamentos, ordenação da vida cotidiana, as trocas econômicas, o conhecimento etc. Ela era o centro regulador da vida mundana e extramundana. Em O cambista e sua esposa, obra finalizada em 1514, de autoria do holandês Quentin Matsys, nos é elucidativo os passos iniciais dessas transformações. A começar pelo tema da tela, cotidiano, e não mais religioso, revela de forma cristalina a natureza do espírito nascente à época, um espírito de libertação, ainda que tímido, Homenagem REDD -Revista Espaço de Diálogo e Desconexão, Araraquara, v.9, n.1, jan./dez. 2017. e da prevalência das coisas mundanas em detrimento do divino. O olhar da esposa vai de encontro ao dinheiro presente nas mãos do marido. O homem encontra-se absorto com os objetos em suas mãos, mal podemos ver os seus olhos. A mão da esposa repousa sobre o texto sagrado, de forma indiferente, quase o ocultando. A porta da residência está entreaberta, sendo possível vermos duas pessoas do lado de fora, provavelmente julgando e condenando a atitude avarenta do casal. A profanação ainda encontra-se restrita ao nível doméstico. Martinho Lutero foi uma figura importante para a superação dessa rígida tradição religiosa que imperava na Europa durante a Idade Média. Ir contra o dogmatismo católico e reclamar para as pessoas novas interpretações da Bíblia significou, em última medida, uma revolução. Este fato não passou despercebido aos olhos de Max Weber, vendo esta questão enquanto uma problemática central para a análise do capitalismo ocidental como um todo. Essa revolução cultural significou uma transformação cognitiva dos indivíduos, que se traduziu em um ethos particular e novíssimo. O trabalho passou a ser visto não apenas como uma das esferas de vida dos indivíduos, mas ao se confundir com os valores religiosos, é dotado de valor e sentido sagrados. Todas as coisas profanas, como ir contra a interpretação usual da Bíblia, acumular dinheiro (como no quadro de Matsys), se perguntar sobre a validade do poder divino destinado a homens e mulheres de carne e osso, passaram a ser a tônica de uma colossal revolução total nas mentalidades, que paulatinamente levou a outras e infindáveis revoluções menores, mas não menos importantes.
doi:10.11606/issn.2316-901x.v0i29p125-141 fatcat:o76ebmokebepzddvamszemau7m