ANÁLISE DISCURSIVA DO PREFÁCIO DO DICIONÁRIO DE LÍNGUA PORTUGUESA, DE EVANILDO BECHARA
PORTUGUESE

RODRIGO SILVA, LAYANA HOLANDA
2016 Entremeios  
Resumo. Este trabalho pretende analisar, à luz da Análise de Discurso, o prefácio do Dicionário de língua portuguesa, de Evanildo Bechara. O objetivo principal é investigar como o prefácio produz sentido, levando em conta as seguintes categorias: o sujeito enunciador, as condições de produção, a formação discursiva e o sujeito "outro". Para tanto, fez-se uma breve apresentação de conceitos fundamentais da Análise de Discurso, baseado em Courtine (2009), Mussalim (2003) , Orlandi (2006 ) e
more » ... ndi (2006 ) e Pêcheux (2006. Além disso, mostrou-se, brevemente, como o dicionário pode ser tomado como objeto de discurso, baseado em Nunes (2006) . Sendo assim, o dicionário constrói sua significação por meio da interação entre interlocutores. O sujeito-autor produz o seu discurso a partir de uma posição social, regulado por uma formação discursiva e influenciado pelas condições de produção. Uma análise preliminar permitiu reconhecer, entre outras coisas, que o discurso no prefácio é feito mediante o imaginário de um público leitor (alunos do ensino médio) e a partir de uma formação discursiva inserida no contexto de valorização do uso de dicionários na escola (proposta do PNLD). Palavras-chave: Análise de Discurso; prefácio; dicionário. Abstract. This paper aims to examine the preface to a dictionary of the Portuguese language by Evanildo Bechara, according to Discourse Analysis. The main objective is to investigate how the preface makes sense, taking into account the following categories: the subject that speaks, production conditions, the discursive formation and the subject known as the "Other." For this purpose, there was a brief presentation of the basic concepts of Discourse Analysis, based on Courtine (2009 ), Mussalim (2003 ), Orlandi (2006 ) and Pêcheux (2006. Moreover, it was showed up briefly how this dictionary can be taken as the object of speech, based on Nunes (2006). Thus, the dictionary builds its meaning through interaction among speakers. The subjectauthor produces his speech from a social position regulated by a discursive formation and influenced by production conditions. Preliminary analysis above demonstrates that the discourse in the preface is done by the imagination of a reader audience (high school students) and from a discursive training within the context of appreciation of the use of dictionaries in school (proposed by the National Textbook Program-PNDL), among other things.
doi:10.20337/issn2179-3514revistaentremeiosvol12pagina115a127 fatcat:ezkpsuiwbfc6ncbodzm5eidwlm