COMPORTAMENTO SEXUAL DOS ESTUDANTES DE MEDICINA: DIFERENÇAS ENTRE OS SEXOS E FATORES INFLUENCIADORES / SEXUAL BEHAVIOR OF MEDICAL STUDENTS: DIFFERENCES BETWEEN GENDERS AND INFLUENCING FACTORS

Rodrigo Dias Cassimiro, Carolina Ribeiro Fernandes Oliveira, Rayssa Carolina de Lacerda Candido, Sofia de Barros Jesus, Edwilson Gonçalves Rios Filho, Rodrigo Davanço Souto, Raquel Oliveira dos Santos
2020 Brazilian Journal of Development  
RESUMO Comportamento sexual pode ser considerado de risco quando, por exemplo, o uso de preservativo para evitar uma gestação ou proteger-se de uma infecção sexualmente transmissível (IST) não é escolhido. O objetivo deste trabalho foi comparar, entre os sexos, o comportamento sexual dos acadêmicos do ciclo básico (primeiro ao quarto período) do curso de medicina de uma instituição de ensino privada do Centro-Oeste brasileiro, bem como as situações de risco e seus possíveis fatores
more » ... atores influenciadores. Tratou-se de um estudo epidemiológico transversal e descritivo. Foram aplicadas 39 questões objetivas adaptadas de 4 estudos. Houve diferença entre os sexos quanto ao parceiro na primeira relação sexual (p=0,007), os homens com maior número de parceiros após a entrada na faculdade (p=0,01), a camisinha e o anticoncepcional hormonal como os principais métodos utilizados (p=0,008) e a tendência de menor uso de preservativos por pessoas que praticam relações sexuais não exclusivamente heterossexuais (Odds Ratio com intervalo de confiança variando entre 0,6 e 19). Morar sem os pais favorece o uso de métodos protetivos (p=0,05) e usar preservativo na primeira relação contribuiu para uma chance 3,9 vezes maior de uso nas subsequentes (p=0,007). Parte dos acadêmicos apresentam práticas sexuais de risco. São necessários mais estudos que avaliem outras etapas da graduação, permitindo uma discussão com mais embasamento. Palavras-chave: Sexualidade, Doenças Sexualmente Transmissíveis, Educação em saúde. ABSTRACT Sexual behavior can be viewed as risky when, for example, the use of condoms to avoid pregnancy or to protect against a sexually transmitted infection (STI) is not chosen. The objective of this study is to compare, between genders, the sexual behavior of students in the basic cycle (first to fourth semester) of the medical program at a private post-secondary education institution in the Brazilian Midwest, as well as risk situations and its possible influencing factors. This is a cross-sectional and descriptive epidemiological study. 39 objective questions were applied, adapted from 4 studies. There was difference between sexes regarding one's first sexual partner (p=0,007), men with a greater number of partners after entering college (p=0,01), condoms and hormonal contraceptives as the main methods used (p=0,008) and the lower use of condoms by individuals whose sexual relations are not exclusively heterosexual in nature (Odds Ratio with confidence interval ranging from 0,6 to 19). Living without parents is conducive to the use of protection (p=0,05) and using condoms in one's first sexual encounter contributes to a 3.9 times greater likelihood of condom use in subsequent relations (p=0,007). Part of the student group engages in risky sexual practices. Further studies are needed at other stages of post-secondary education, allowing for a more foundation discussion.
doi:10.34117/bjdv6n10-199 fatcat:teai3ylcibbrhntqexbmbgjjou