O PNDH-3 e a (im)possibilidade de novas narrativas: O não-agir, o não-esquecer

Robert Madeiro Dias
2013 Em Tempo de Histórias  
O passado se apresenta como um conjunto vivo de representações, que podem mudar tão incessantemente quanto o presente. É necessário um aprofundamento e uma busca cada vez maior de novas narrativas, novos testemunhos, novas maneiras de se escrever e pensar a história dos momentos trágicos da realidade brasileira. E cabe ao historiador "transmitir o inenarrável", como afirma Jeanne Marie Gagnebin, "manter viva a memória dos sem-nome, ser fiel aos mortos que não puderam ser enterrados." Nesta
more » ... rrados." Nesta perspectiva este artigo versa sobre os direitos humanos no Brasil e os imbricamentos deste percurso no debate nacional. Temas como o Programa Nacional de Direitos Humanos – 3 (PNDH-3), a negação da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF-153) e a decisão da Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), por sua vez, tornam-se importantes para reflexão do caso nacional.
doi:10.26512/emtempos.v0i23.14873 fatcat:y37maoxbm5bahk7d6jqowrjbdq