A Amazônia acreana de Abguar Bastos

Gerson Rodrigues ALBUQUERQUE, Raquel Alves ISHII
2013 Muiraquitã. Revista de letras e humanidade  
RESUMO O objetivo que norteia o presente artigo é desenvolver uma reflexão sobre o "olhar" que o escritor paraense Abguar Bastos Damasceno (1902Damasceno ( -1995 lança sobre a Amazônia acreana, no romance "Certos Caminhos do Mundo" (1936). Na narrativa da obra em questão, a cidade de Rio Branco aparece dividida pelo Rio Acre, em duas faces antagônicas: de um lado, Empresa e, do outro lado, Penápolis. Empresa caracterizada como o lugar do vício e Penápolis, local da virtude. No idealizado
more » ... o idealizado cenário dessa dupla cidade e da Amazônia acreana sonhada pelo autor, as histórias de Solon, filho do coronel João Gonçalves, e Rubina, uma prostituta negra, irão se entrelaçar. É também entre o vício e a virtude que Abguar Bastos tece a trajetória de outros personagens, marcados, física e moralmente, pelo "estribilho dos falhados e dos sofredores": o Acre. A partir de uma visão determinística, tais personagens surgem aos olhos e subjetividades dos leitores como seres degradados e condenados ao sofrimento no "abismoso reino da solidão". PALAVRAS-CHAVE: Literatura. Amazônia Acreana. Representação. Discurso. Identidade.
doi:10.29327/210932.2.1-6 fatcat:la5mysjk5rdjdbh2vf55qts3j4