Impacto da Divulgação Obrigatória da DVA: Evidência em Indicadores Financeiros

Ismael Alencar Fiuza de Oliveira, Antônio Carlos Dias Coelho
2014 Revista Evidenciação Contábil & Finanças  
RESUMO No contexto da discussão sobre a evidenciação de informações contábeis de ser tratada de forma voluntária ou obrigatória, um dos argumentos favoráveis à obrigatoriedade consiste no caráter menos verificável da informação voluntária, em razão de não ser submetida a procedimentos de confirmação mais rigorosos, estando sujeita a vieses e a depender do julgamento de seus investidores. De outra parte, argumentos contrariam tal visão, no sentido de que incentivos econômicos e informacionais
more » ... e informacionais seriam suficientes para divulgar informações contábeis de forma eficiente. Neste sentido, a pesquisa investigou em que medida a obrigatoriedade de divulgação da DVA, instituída pela Lei nº 11.638/07, pode ter impactado a propriedade informacional de indicadores financeiros de análise da geração e da distribuição do valor adicionado. A amostra da pesquisa foi composta por 81 companhias listadas na BM&FBOVESPA, que divulgavam a DVA voluntariamente antes do advento da nova legislação contábil. O estudo envolveu os períodos de 2005 a 2007, antes da obrigatoriedade, e 2008 a 2012, após a obrigatoriedade de divulgação. Os dados foram obtidos no sítio da BM&FBOVESPA e foram submetidos a testes paramétricos e não paramétricos de diferença entre médias e a análise por regressão logística. Os resultados apontaram haver mudanças estatisticamente significantes em apenas dois dos indicadores analisados que relacionam geração de valor adicionado e receita e que mostram a parcela do valor adicionado destinada a acionistas. Podese inferir, assim, que o processo regulatório adotado na contabilidade brasileira não afetou de forma generalizada os números divulgados pela DVA. Palavras-chave: Evidenciação Contábil Obrigatória. Qualidade Informacional. Demonstração do Valor Adicionado. ABSTRACT In the context of discussion about the financial disclosure to be treated on a voluntary or mandatory basis, one of the arguments in favor of mandatory is the less verifiable character of voluntary information, because it is not subject to more rigorous confirmation procedures, thus being exposed to biases and depending on the investors' judgment. On the other hand, arguments contradict such a view, in the sense that economic and informational incentives would be sufficient to disclose accounting information efficiently. Thus, the research investigated to what extent mandatory disclosure of VAS, established by Law nº 11.638/07, may have impacted on the informational property of financial indicators for analysis of value added formation and distribution. The research sample was composed by 81 companies listed at the BM&FBOVESPA that disclosed VAS voluntarily before the advent of the new accounting legislation. The study involved the periods 2005-2007, before the requirement, and 2008-2012, after it. The data were obtained on the BM&FBOVESPA website and have been submitted to parametric and nonparametric tests of differences between means and logistic regression analysis. The results showed a statistically significant change in only two of the examined indicators, that relate value added creation and revenue and show the portion of value added allocated to shareholders. Therefore we can infer that the regulatory process adopted in the Brazilian accounting does not generally affect the data released by VAS.
doi:10.18405/recfin20140303 fatcat:snokbcklyjc2vejhuywpxqwvyu