Um olhar sobre a condição feminina no filme Roma

Isadora Ebersol, Ana Paula Penkala
2020 Revista Latino Americana de Estudos em Cultura e Sociedade  
Tendo como pano de fundo as revoltas políticas do início dos anos de 1970 na Cidade do México, Roma (Alfonso Cuarón, 2018) acompanha a vida de uma família de classe média a partir de uma personagem central: Cleo, a babá e empregada doméstica que trabalha para a família. As vidas de Cleo, de origem indígena e Sofia, a patroa branca, são conectadas pela experiência da solidão feminina, do cotidiano doméstico e familiar, da maternidade e do abandono masculino, embora se distanciem profundamente
more » ... em profundamente pelo contraste social que demarca uma fronteira simbólica entre as duas. Este trabalho busca analisar a condição feminina a partir destas duas personagens centrais do filme, considerando tanto a condição que compartilham enquanto mulheres dentro de uma mesma estrutura de dominação patriarcal, como também a situação específica vivida por cada uma dentro desta sociedade, balizada por diferenças de raça e classe. O fio condutor da narrativa se apoia nesse movimento de costura entre as diferenças e semelhanças das duas personagens e as formas específicas como sintetizam e materializam a condição feminina. Buscamos analisar visualmente e narrativamente como se constroem estes contrastes a partir das interações íntimas e produções cotidianas das personagens entre si e com o espaço. Partimos de uma leitura decolonial que busca evidenciar a continuidade e atualização das formas de dominação coloniais, cuja base é a divisão racial do trabalho e o poder patriarcal, e que deixam profundas marcas na experiência vivida pelas mulheres latino-americanas.
doi:10.23899/relacult.v6i4.1766 fatcat:eapm42yxfvejpg244gs5xyi3s4