O jogo do olhar feminino em "Minha gente" de Guimarães Rosa

Ana Lúcia Branco
2016 Opiniães  
Este ensaio procura abarcar o jogo do olhar na estória "Minha gente", de Sagarana (1946), a partir do olhar feminino de Maria Irma. Acredita-se que em suas relações interpessoais – família/negócios, amizade, amor – a personagem Maria Irma exercita uma sutil articulação de peças, para ser verossímil com um léxico forte no conto (o xadrez), que visa a seu interesse pessoal bem como familiar/social. Esse traço pode aproximar Maria Irma de algumas figuras míticas da cultura ocidental. Por astúcia
more » ... ntal. Por astúcia sorrateira, ela demonstra uma subjetividade do gênero parcialmente distinta daquela que se costuma apreender na tradição do patriarcado, marcada por uma maior submissão da mulher. No entanto, o jogo de sedução e ludibrio que se revela nessa narrativa visa à manutenção e preservação da hegemonia masculina familiar e política de cunho patriarcal. Maria Irma representaria, na proposta defendida aqui, a tensão entre o avanço e o recuo do gênero feminino na ficção de Rosa, oscilando entre afirmar seu desejo e também garantir o status quo familiar. Palavras-chave:Guimarães Rosa; "Minha gente"; olhar feminino; interesses duplos; feminino mitológico.
doi:10.11606/issn.2525-8133.opiniaes.2015.115198 fatcat:zfngmjxe4fhsbfthlwyh5pjpgm