Arquivos secretos eclesiásticos em Salvador

Ana Aparecida Gonzaga da Silva, Jussara Borges
2010 Informação & Informação  
Jussara Borges -jussarab@ufba.br Doutoranda em Comunicação e Cultura Contemporâneas (Facom/UFBA). Professora Assistente (ICI/UFBA) Resumo O estudo investiga os critérios empregados por arquivos de ordens religiosas e pelo Arquivo da Cúria de Salvador para identificar o teor secreto de seus documentos. Consideram-se as relações históricas entre a Igreja Católica e o poder civil para compreender o porquê de muitos documentos depositados nos arquivos eclesiásticos brasileiros serem identificados
more » ... rem identificados como de interesse público e social pela lei nacional. O trabalho também destaca as disposições normativas existentes nas legislações civil e canônica relacionadas aos arquivos secretos. Apresenta ainda uma breve discussão sobre a questão do acesso e sigilo da informação, bem como sobre o direito à informação. Quanto aos procedimentos de pesquisa, utilizou-se o sítio eletrônico da Arquidiocese de Salvador na seleção das ordens masculinas e femininas estudadas; em seguida, foi aplicada entrevista com questões semi-estruturadas com a finalidade de coletar dados para os resultados empíricos desta pesquisa. Conclui-se que não existem critérios explícitos para a classificação dos documentos considerados secretos nos arquivos eclesiásticos católicos de Salvador, o que leva à utilização de critérios aleatórios e que seus responsáveis não demonstraram possuir domínio do significado de documentos secretos, já que entram em contradição em suas afirmações. Palavras-chave Arquivos eclesiásticos. Arquivo secreto. Direito à informação. INTRODUÇÃO A Igreja conseguiu, ao longo de sua história, arquivar um volume respeitável de documentos considerados históricos para a sociedade. Tais registros se encontram resguardados em Arquivos Eclesiásticos. Nesses espaços, não se encontram somente preservadas informações que relatam a memória da Igreja enquanto instituição, mas também há conservadas passagens da vida do povo brasileiro. Neste sentido, os arquivos privados eclesiásticos são considerados um bem cultural da Igreja e, ao mesmo tempo, de interesse público e social, especialmente no que toca à pesquisa científica.
doi:10.5433/1981-8920.2009v14n2p38 fatcat:5jzhin2pmjhlbbpzezjggqzcfa