Rectal prolapse repair via vaginal route

Héber de Oliveira Morsch, Iuri Martin Goemann
2013 Journal of Coloproctology  
Genital dystopia Surgical technique Minimally invasive surgery Vaginal surgery a b s t r a c t Many elderly patients have concomitant anorectal, urological and gynecological symptoms involving multiple perineal structures, which require the surgeon to operate in different areas of his specialty in order to correct different dystopias in a single procedure. We describe a technique for total rectal prolapse correction offering low surgical risk for patients presenting with this pathology along
more » ... pathology along with pelvic floor defects. We used a simple, minimally invasive technique, which showed complete success in the postoperative follow-up. The patients showed no peri-and post-operative complications and were discharged briefly after the procedure. Although it was a small sample, there was no case of rectal prolapse recurrence with the technique described. With the procedure described here, the treatment of rectal prolapse is possible with concomitant pelvic reconstruction in a single procedure, which is an interesting approach for elderly patients commonly affected by both diseases, as these patients often have other comorbidities that increase the perioperative risk. Palavras-chave: Prolapso retal Distopia genital Técnica cirúrgica Cirurgia minimamente invasiva Cirurgia vaginal r e s u m o Reparo do prolapso retal via vaginal Muitos pacientes idosos possuem concomitância de sintomas anorretais, urológicos e ginecológicos, envolvendo múltiplas estruturas perineais e obrigando o cirurgião a atuar em áreas diversas à sua especialidade para que possa corrigir diferentes distopias em um único procedimento. Descrevemos aqui uma técnica de correção de prolapso total de reto que oferece baixo risco cirúrgico a pacientes que se apresentam com tal patologia juntamente com defeitos do assoalho pélvico. Utilizamos uma técnica simples, minimamente invasiva e que demonstrou sucesso total no acompanhamento pós operatório. Os pacientes não apresentaram intercorrências peri-e pós-operatórias, e tiveram breve tempo de internação hospitalar após o procedimento. Embora em amostra pequena, não obtivemos nenhum caso de recorrência do prolapso retal com a técnica descrita. Com o procedimento aqui descrito, é possível o tratamento do prolapso retal concomitante à correção da distopia genital em um único procedimento sendo tal abordagem interessante na população idosa comumente afetada pelas duas patologias, uma vez que tais pacientes frequentemente apresentam outras comorbidades que aumentam o risco perioperatório.
doi:10.1016/j.jcol.2012.12.001 fatcat:olg5ahtth5ayponjpojzn6qv34