Amós 7.1-6: Amós não pede por justiça, mas por misericórdia

José Ribamar Mendes Filho Jacinto
2017 Caminhando  
Este trabalho se propõe a estudar a passagem de Amós 7.1-6, buscando entender o que está implicado teologicamente no primeiro par de visões, respondendo o que levou Deus a se arrepender. O trabalho está dividido em três seções: a primeira seção busca analisar a visão dos gafanhotos e do fogo, considerando que elas apontam para um juízo de Deus sobre um povo fraco e pequeno. Das informações obtidas nesta primeira parte, buscar-se-á interligá-las à segunda parte (apelo em favor de um povo fraco e
more » ... de um povo fraco e pequeno), focalizando a ideia de um apelo em favor do povo de Israel, buscando entender as primeiras implicações teológicas a respeito do juízo de Deus como "o dia de Javé". Este dia de Javé, tanto positivo quanto negativo para o povo de Deus, só poderá ser impedido se houver uma intercessão em favor do povo.
doi:10.15603/2176-3828/caminhando.v22n2p153-163 fatcat:craudx32x5dtlijidrc4a7fbsu