Hipoxia após traumatismos crânio-encefálicos graves

R. A. Frowein, A. Karimi, K. H. Euler
1964 Arquivos de Neuro-Psiquiatria  
Apesar de todos os modernos métodos de tratamento, a mortalidade após traumatismos crânio-encefálicos graves ainda é da ordem de 50 a 70% dos casos (Frowein 11 ). Para modificar estes resultados as possibilidades clínicas parecem ser muito limitadas porém ainda não esgotadas. A hipoxia é um dos fatôres mais importantes a considerar. Na fase aguda de traumatismos encefálicos há diminuição do afluxo de 0 2 ao cérebro, consecutiva a distúrbios respiratórios e circulatórios. Daí resulta,
more » ... resulta, inicialmente, uma alteração na atividade dos neurônios e, ulteriormente, tôda uma cadeia de distúrbios funcionais do tecido encefálico (Opitz e Schneider 25 , Schneider 30 , Gänshirt 16 , Frowein 9 ). A terapêutica dos distúrbios circulatórios após severos traumatismos cerebrais ainda não está inteiramente solucionada apesar do emprêgo precoce de infusões e de ganglioplégicos (Frowein 14 , Schürmann 32 ).
doi:10.1590/s0004-282x1964000300005 fatcat:miajz2wvbvfmxeap6czyumytqm