Unidade partidária e política externa na América Latina

Pedro Feliú, Janina Onuki
2014 Revista Brasileira de Ciências Sociais  
Introdução Este artigo analisa os índices de unidade partidária nas votações nominais de temas de política externa de seis países latino-americanos: Argentina, Brasil, Chile, México, Paraguai e Peru. O objetivo central é comparar os índices de unidade partidária nas votações de política externa e doméstica, testando a hipótese da especificidade da política externa no que tange ao comportamento legislativo na América Latina. O comportamento legislativo representa um fenômeno de grande interesse
more » ... e grande interesse para a compreensão do funcionamento das democracias representativas. No caso das democracias latino-americanas, uma grande proliferação de estudos empíricos buscou compreender as implicações e determinantes do comportamento legislativo na formulação das políticas pú-blicas em geral. Um aspecto relevante, porém ainda pouco explorado, é o estudo do comportamento do legislador latino-americano desagregado pelo tema da política. Alguns temas são mais importantes do que outros para os partidos, estes se comprometem com aqueles mais relevantes para seus eleitores (Traber, Sciarini e Hug, 2010). Dentre as diversas áreas temáticas tramitadas nos Legislativos nacionais, a política externa apresenta uma característica única que suscita distintas interpretações acerca do comportamento legislativo na temática. A diferença central entre as políticas doméstica e internacional 1 reside no paradigma clássico das relações internacionais: enquanto na primeira há a existência de um Estado nacional capaz de legislar e garantir a ordem em suas fronteiras, na segunda há a ausência de uma entidade supranacional, caracterizando o sistema internacional como anárquico (Aron, 1985) . Essa distinção pode produzir incentivos específicos aos legisladores, influenciando as estratégias
doi:10.1590/s0102-69092014000300009 fatcat:tmbsfila7ndmnfbhc7hwywqehm